Previsão inicial do IBGE para 2013 vê safra recorde de Soja e Milho

Atacante chegou a ameaçar ir embora caso não fosse titular, mas se arrependeu.

Comentar
Compartilhar
09 NOV 201212h50

O primeiro prognóstico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para 2013 é uma safra recorde, de 170.913.202 de toneladas, 5,1% maior do que a deste ano, de 162.571.949 de toneladas, que, por sua vez, já é 1,5% superior à de 2011. O que irá puxar o acréscimo no próximo ano será, principalmente, a soja e o milho.

A estimativa de produção de soja no próximo ano é de 79,7 milhões de toneladas, 46,4% da safra. Neste ano, o grão respondeu por 40,4% do total. Estima-se, portanto, um crescimento de 21,5% da produção, entre os dois anos, e de 5,7% na área a ser colhida. A soja deverá ocupar áreas antes destinadas ao milho primeira safra, algodão herbáceo, feijão primeira safra, arroz e pastagens.

A área colhida do produto deverá passar de 24,9 milhões de hectares este ano para 26,3 milhões de hectares em 2013, com destaque para Mato Grosso, onde se espera acréscimo de 7%, com área colhida de 7,5 milhões de hectares. A estimativa de produção no Estado é de 23,3 milhões de toneladas, 6,9% mais do que neste ano.

A produção de milho, estimada em 66.142.463 toneladas, deve responder por 38,7% da safra total, ante participação de 44% no ano anterior. Segundo o primeiro prognóstico de 2013, o acréscimo em relação a 2012 ocorrerá na primeira safra do ano, cuja produção deve passar de 33.204.224 toneladas para 34.776 450 toneladas.

"O volume da segunda safra é só projeção, por isso, a estimativa de queda. Mas esperamos que não haja no próximo ano os problemas climáticos de 2012, de estiagem, e que a estimativa da segunda safra seja revista", disse o gerente da coordenação de Agropecuária do IBGE, Mauro Andreazzi. 
 
A estimativa de produção de soja no próximo ano é de 79,7 milhões de toneladas (Foto: Agência Brasil)
 
A área plantada do milho está diminuindo em virtude da expansão da soja. As lavouras, porém, têm mostrado aumento da produtividade, destacou o técnico do instituto. A área colhida do grão em 2013 é projetada em 14.719.153 hectares, ante 14.340 802 hectares neste ano.
 
Nos dois casos, da soja e do milho, prevalecerá o estímulo dos preços dos grãos à produção, segundo Andreazzi. Neste ano, o preço da soja no mercado futuro alcançou R$ 75 por saca de 60 kg Atualmente, o produto está sendo negociado a R$ 55 por saca.
 
Em 2013, a Região Sul deverá retomar a primeira posição entre as produtoras de grãos no País, após ser ultrapassada pelo Centro-Oeste neste ano, prevê o IBGE. O Sul deverá responder por 39,6% da safra, ante a participação de 39,0% do Centro-Oeste. Mas este não deve ser um cenário persistente, conforme Andreazzi "A Região Centro-Oeste tem mais área do que a Região Sul, por isso, a expectativa é de que, com o passar do tempo, lidere a produção de grãos", afirmou.

Neste ano, o Mato Grosso posicionou o Centro-Oeste na liderança entre as principais regiões produtoras, o que não ocorria desde 2005. O Estado responde por 24,9% da safra, seguido do Paraná (19,1%) e do Rio Grande do Sul (12,1%). O motivo para a mudança do perfil foi a estiagem que atingiu o Sul do País.

 

Colunas

Contraponto