Presa suspeita de chefiar rede de prostituição no DF

Comando da rede fazia ameaças para garotas que pretendiam deixar a prostituição

Comentar
Compartilhar
03 DEZ 201311h39

A Operação Red Light, da Polícia Civil do Distrito Federal, prendeu ontem Jeany Mary Corner, acusada de participar de esquema de prostituição na capital federal. Segundo a polícia, mulheres que comandavam o esquema chegavam a ameaçar garotas que queriam deixar a prostituição. Ela ficou conhecida em Brasília por levar garotas de programa a uma mansão frequentada pelo então ministro da Fazenda Antonio Palocci, no governo Lula. Conhecida como “República de Ribeirão Preto”, a mansão também era usava pelo ministro para se reunir com lobistas. O caso foi revelado pelo jornal O Estado de S.Paulo e levou à saída do ministro do governo.

“Ela tem clientes de alto poder aquisitivo”, afirmou a delegada Ana Cristina Santiago, titular da Delegacia da Mulher no DF. A delegada explicou, contudo, que o foco das investigações foram as mulheres. Mais recentemente, em outra operação da Polícia Federal, a Miquéias, descobriu-se que garotas de programa eram usadas para aliciar prefeitos com o objetivo de convencê-los a direcionar recursos de fundos de pensão municipais. As garotas seriam ligadas a Corner.