Praia Grande reinicia Programa Praia Acessível

A iniciativa oferece equipamentos (cadeiras anfíbias e esteiras adaptadas) para auxiliar as pessoas com deficiência na praia e no banho de mar com segurança

Comentar
Compartilhar
31 MAR 201512h36

Nesta sexta-feira (3), a partir das 9 horas (e até as 17 horas), no Quiosque da Praia do Bairro Guilhermina (Avenida Presidente Castelo Branco esquina com a Rua Leblon, em frente ao número 1.898), a Secretaria de Esporte e Lazer (SEEL) de Praia Grande reinicia as atividades do Programa Praia Acessível, iniciativa que oferece equipamentos (cadeiras anfíbias e esteiras adaptadas) para auxiliar as pessoas com deficiência na praia e no banho de mar com segurança.

As atividades serão oferecidas gratuitamente aos munícipes e turistas todos os sábados, domingos e feriados. Lançado em 2010, o Programa tem parceria com a Secretaria Estadual dos Direitos das Pessoas com Deficiência. Há apoio das Secretarias de Saúde Pública (Sesap), Serviços Urbanos (Sesurb) e de Governo (SEG); Sub-Secretaria de Ação e Cidadania, Guarda Civil Municipal (GCM) e Corpo de Bombeiros.

“Vamos contar também com auxílio de entidades do terceiro setor voltadas a acessibilidade e aos direitos do deficiente”, informou o secretário executivo da SEEL Sérgio Pontes. “Epas, ADPG, APAE, INGEDERF e Ação em Combate a Neuropatologias são grupos que se colocaram à disposição do poder público para ajudar com voluntários e atividades”.

As atividades serão oferecidas gratuitamente aos munícipes e turistas todos os sábados, domingos e feriados (Foto: Edmilson Lelo)

Dados

No Quiosque do Bairro Guilhermina, há rampa de acesso à praia e a SEEL manterá um professor, um auxiliar de enfermagem e um estagiário administrativo (para ajudar no preenchimento de ficha cadastral) no local. As atividades ocorrem com sol ou chuva fraca. A Secretaria Estadual dos Direitos das Pessoas com Deficiência foi responsável pela compra de 10 cadeiras feitas com um tipo de pneu especial, que permite superar a dificuldade de locomoção na areia, e também não afundam na água.

Na primeira fase do Programa (realizada de 06 de janeiro a 18 de fevereiro), participaram 87 pessoas (algumas mais de uma vez, totalizando 139 atendimentos). Dessas, 39 eram mulheres e 48 homens. No total, 43 são moradores da Cidade e 44 visitantes. A maioria é portadora de deficiência motora (46).