Praia Grande conta com três bases do SAMU

Através do telefone gratuito 192, a população conta com um atendimento pré-hospitalar especializado em casos de urgência e emergência

Comentar
Compartilhar
10 ABR 201417h36

A agilidade e eficiência dos profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) têm sido fatores determinantes para salvar vidas em Praia Grande. O Município possui três bases avançadas do SAMU, localizadas nos bairros Guilhermina, Quietude e Samambaia. Através do telefone gratuito 192, a população conta com um atendimento pré-hospitalar especializado em casos de urgência e emergência.

A disposição das bases operacionais é um dos motivos apontados para a rapidez no atendimento. Denominadas Regionais Descentralizadas, estão localizadas em três áreas da Cidade: Avenida Presidente Kennedy, 1.491 (fundos do Cemas), com entrada pela Rua Jatobá, Guilhermina; Avenida Ministro Marcos Freire, s/n (fundos do Pronto-socorro Quietude); Avenida Marginal, altura do Km 292 da Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, no Samambaia (acoplada a Unidade de Pronto Atendimento - UPA).

Outro fator que contribui para a agilidade no atendimento é o serviço de comunicação digital, de última geração, que permite resposta mais rápida aos chamados. O plantão regional, centralizado em Itanhaém, conta com uma equipe de 28 profissionais. Para o período de festas como fim de ano e carnaval, o SAMU recebe reforço de pelo menos 20 profissionais, que atuam em regime de escala extra.

A cidade de Praia Grande conta com três bases do SAMU (Foto: Divulgação)

Dados

Mensalmente são registrados mais de 2 mil atendimentos realizados pelo SAMU na Cidade. O funcionamento ocorre 24 horas por dia com equipes de profissionais de saúde, como médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e socorristas, que atendem urgências de natureza traumática, clínica, pediátrica, cirúrgica, gineco-obstétrica e de saúde mental da população. O setor tem como meta reduzir o número de óbitos, o tempo de internação em hospitais e as sequelas decorrentes da falta de socorro precoce.

Capacitações

Os socorristas passam constantemente por treinamentos. As capacitações abordam temas como: socorro a afogados, vítimas de incêndios, noções básicas, avaliação primária e imobilização e utilização de equipamentos de retirada de vítimas de ferragens. Ao longo dos últimos anos, o Município tem procurado adequar os profissionais para cumprir as exigências estipuladas pelo Ministério da Saúde, no manual de regulação médica das urgências.