Polícia de Baltimore conclui relatório sobre morte de jovem afro-americano

As autoridades locais decidirão se apresenta ou não qualquer acusação contra os agentes envolvidos no incidente

Comentar
Compartilhar
30 ABR 201517h19

A polícia de Baltimore, no Leste dos Estados Unidos, concluiu e entregou hoje (30) o relatório sobre a morte do jovem afro-americano Freddie Gray ao Ministério Público do estado norte-americano de Maryland. As autoridades locais decidirão se apresenta ou não qualquer acusação contra os agentes envolvidos no incidente.

“Queriam que atuássemos com urgência para ter resultados, mas isso não significa que a investigação terminou. Se encontrarmos novas provas, vamos segui-las”, explicou o chefe da polícia de Baltimore, Anthony Batts.

O relatório da força policial foi entregue um dia antes da data prevista. “O caso continua aberto e vamos trabalhar com novas informações que possam surgir”, adiantou o subchefe da polícia, Kevin Davis.

Freddie Gray, um jovem afro-americano de 25 anos, morreu em 19 de abril, uma semana depois de sua detenção, por causa de lesões na coluna vertebral. Violentos distúrbios ocorreram no dia do funeral do jovem, obrigando as autoridades estaduais a decretarem estado de emergência e um recolher obrigatório.

Os advogados da família de Freddie Gray e o Ministério Público de Maryland já advertiram, de forma a evitar uma possível frustração dos cidadãos, que o anúncio sobre as eventuais acusações contra os agentes da força policial de Baltimore não será imediato.

Após a formalização das acusações, será um grande júri que determinará a pena dos agentes. O processo pode demorar meses. O Ministério Público espera reunir mais provas sobre as circunstâncias da morte do jovem afro-americano.

Freddie Gray foi detido em 12 de abril. Os agentes prenderam Gray e encontraram uma navalha em um dos bolsos da calça do jovem. Ainda não se sabe se os policiais suspeitavam que ele tinha uma arma branca antes da prisão.

Já detido, o jovem foi transportado em uma viatura policial, onde teria sofrido a lesão cervical que teria causado sua morte uma semana depois. Seis agentes da polícia foram suspensos.

Freddie Gray transformou-se num novo símbolo, como já tinha ocorrido com o adolescente afro-americano Michael Brown (morto a tiro por um policial em Ferguson, Missouri) no verão de 2014.