Perequê vai ganhar Centro de Cidadania e Creche Pró-Inafância

Durante a audiência do Orçamento Participativo, munícipes souberam das novidades e votaram a política de Saúde como prioridade no orçamento de 2015

Comentar
Compartilhar
27 AGO 201415h24

A população definiu e a vontade popular prevaleceu. Em breve, o Perequê passará a contar com o seu Centro de Cidadania e, posteriormente, o bairro vai ganhar uma Creche Pró-Infância. O anúncio foi feito durante a audiência do Orçamento Participativo, realizada pela Prefeitura de Guarujá na Escola Municipal Mário Cerqueira Leite Filho, na noite de segunda-feira (25). Na oportunidade, os moradores do Perequê e Prainha Branca conheceram mais ações do Governo Municipal, esclareceram dúvidas, fizeram solicitações e votaram a prioridade do bairro para o orçamento municipal de 2015. Os investimentos na área de Saúde foram eleitos como a maior necessidade do próximo ano.

A implantação do Centro de Cidadania e da Creche Pró-Infância são conquistas recentes, que foram solicitadas pela população no Orçamento Participativo do ano passado e agora se tornaram possíveis. Acompanhada do diretor dos centros de cidadania da Prefeitura, Rogério Oliveira, a secretária municipal de Coordenação Governamental, Eliane Ribeiro, fez o anúncio aos participantes do encontro. Ela afirma que o Centro de Cidadania IV atenderá a população do Perequê e região ainda este ano. “Estamos finalizando o processo jurídico para começar o atendimento. Esta foi uma das solicitações do OP anterior e a prefeita Maria Antonieta de Brito pediu que a gente se debruçasse nesta questão”, afirmou.

Segundo o diretor Rogério Oliveira, após a implantação do Centro de Cidadania, os moradores do Perequê não vão mais precisar ir ao Centro da Cidade para fazer emissão de segunda via do CPF, segunda via de Certidão de Nascimento de outros estados, Boletim de Ocorrência eletrônico, antecedentes criminais, Cartão SUS, e Carteira de Trabalho. O Centro de Cidadania IV funcionará na Estrada Guarujá Bertioga, Quilômetro 7, na sede da Sociedade Amigos do Perequê (Sape), que foi inteiramente reformada pela Secretaria Municipal de Operações Urbanas para abrigar o equipamento.

O pescador Osmar de Paula Santos, que vive há 29 anos no bairro, acompanhou a reforma no espaço. “É muito importante para comunidade porque agora não vamos mais ter que gastar com passagem”, conta. A opinião é partilhada pela garçonete Amanda Silva de Souza Portella, que mora no Perequê desde os 12 anos de idade. Para ela, ter um Centro de Cidadania no bairro “é muito bom, já que antes a gente tinha que ir até o Centro, que é muito longe. Só o tempo gasto leva cerca de uma hora e meia”, justifica.

Creche Pró-Infância – Durante sua explanação, a secretária municipal de Educação, Priscilla Bonini, anunciou aos munícipes que a Prefeitura conquistou para o bairro uma unidade da Creche Pró-Infância, do Governo Federal. O equipamento será nos mesmos moldes do Núcleo de Educação Infantil Municipal (Neim) Mauro Aprígio de Brito, inaugurado há dois anos, no Jardim Progresso. Para a do Perequê, foi realizada licitação para limpeza do terreno e, após a empresa contratada por ata federal realizar esta etapa, terá início toda a tramitação jurídica e administrativa para viabilizar a unidade educacional.

Outras conquistas – Nos últimos cinco anos, o bairro teve as ruas Bidu Sayão, Javari e Nova Iguaçu asfaltadas; recebeu intervenções que deram fim às valas das ruas Jota Júnior e Maria Bonita (Jardim Cidamar), reforma da Unidade de Saúde da Família (Usafa) e da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e três profissionais do programa federal “Mais Médicos”. Além disso, 535 famílias foram contempladas pela Prefeitura com os títulos de moradia, e a Serra do Guararu se tornou Área de Proteção Ambiental (APA).

A Prefeitura também reformou e climatizou a E.M. Mário Cerqueira e desenvolveu o Projeto de Turismo de Base Comunitária na Prainha Branca, para gerar emprego e renda aos caiçaras tradicionais para atuarem como guias nas trilhas do local.

A força do povo na construção da sociedade

As audiências do Orçamento Participativo (OP) são realizadas pela Prefeitura desde 2009 e coordenadas pela Secretaria Municipal de Coordenação Governamental. Este ano, são oito encontros em diferentes regiões de Guarujá: Centro, Morrinhos, Vicente de Carvalho, Perequê, Enseada, Santo Antônio, Santa Cruz dos Navegantes e Maré Mansa.

O encontro do Perequê e Prainha Branca foi aberto com uma apresentação cultural de dança de salão, feita pelos bailarinos Régis e Cris. A reunião contou com explanações do vice-prefeito e secretário municipal de Infraestrutura e Obras, Duino Verri Fernandes; dos secretários municipais Eliane Ribeiro (Coordenação Governamental), Priscilla Bonini (Educação), Rui de Paiva (adjunto de Saúde), Antônio Carlos Viana (adjunto de Defesa e Convivência Social), Averaldo Menezes (Operações Urbanas) e Adilson Cabral (Meio Ambiente), além do diretor de Regularização Fundiária da Prefeitura, Milton Francisco.

Para quem nunca participou, funciona da seguinte maneira: da mesma forma que um pai de família ou uma dona de casa precisam colocar suas despesas no papel para saber se o pagamento mensal vai ser suficiente para tudo, e se planejar para fazer uma reforma no banheiro ou comprar um guarda-roupa novo, assim também funciona a gestão pública. A Prefeitura precisa definir de que forma investir, sem comprometer as despesas da máquina pública. No entanto, como o recurso financeiro público pertence a todos, é necessário ouvir a população para elencar o que prioridade em cada canto da Cidade.

Ao fim de cada encontro, os participantes votam qual a política pública que deve receber mais investimentos no bairro no orçamento do próximo ano. Para o Perequê e Prainha Branca, os moradores elegeram a política de Saúde como prioridade no orçamento de 2015.

Para a dona de casa Maria da Graça Reis Cândido, que mora no local há 20 anos, “o asfalto na rua Javari foi uma obra importante para o bairro. Vim aqui para saber das melhorias. O Perequê poderia ter um centro comunitário”, comentou.

Já Rosane Martins Rosa de Oliveira mora no bairro há quatro anos. Ela veio de Ribeirão Preto, onde trabalhou como doméstica por muito tempo, com o objetivo de abrir um restaurante em Guarujá. Trabalhou por quatro anos como caseira no condomínio do Sítio Iporanga, matriculou-se na Educação de Jovens e Adultos (EJA) da E.M. Mário Cerqueira e ano passado conseguiu inaugurar um pequeno restaurante no bairro.

Aluna da unidade onde aconteceu a audiência do Orçamento Participativo, ela participou da experiência pela primeira vez e aprovou a iniciativa. “Pelo que entendi, estão explicando o que é feito com o dinheiro da Prefeitura. Morei em Ribeirão Preto e aqui no Perequê, se comparar com a cidade de onde vim, tem postos de saúde bem estruturados e limpeza nas ruas todo dia. Muitos moradores jogam lixo no chão, mas, mesmo assim, todo dia as ruas são varridas”, observou.

Rosane também elogiou a estrutura da E.M. Mário Cerqueira, onde cursa a EJA, e fez suas sugestões. “O Perequê poderia ter um centro comunitário e uma academia ao ar livre, no calçadão da praia”, pontou.

Confira o cronograma com as próximas audiências:

Quarta-feira (27) – Unaerp

Avenida Dom Pedro I, 3.300 – Enseada

Bairros: Enseada, Jardim Virgínia, Pedreira e Cantagalo

Sexta-feira (29) – Caec Isabel Ortega de Souza

Avenida Manoel da Cruz Michael, 333 – Santa Rosa

Bairros: Santa Rosa, Santo Antônio e Mangue Seco

02/09 – Associação dos Amigos e Moradores da Praia de Santa Cruz dos Navegantes

Santa Cruz dos Navegantes

Rua Carmozina de Freitas Abreu, 188 – Casa 4

Bairro: Santa Cruz dos Navegantes

05/09 – Caec Vila Rã

Rua Iracema, s/n – Vila Rã

Bairros: Areião, Pernambuco e Maré Mansa