Paulo Alexandre Barbosa anuncia começo das obras da sede do Centro POP

Centro de Referência ficará no Paquetá e atenderá 150 moradores de rua/dia. 281 moradores de rua foram resgatados desde o início do programa

Comentar
Compartilhar
21 NOV 201321h14

281 pessoas foram retiradas das ruas desde que o Programa Recomeçar foi lançado pela Prefeitura de Santos, em julho deste ano. E para continuar a atender à demanda de moradores de rua da Cidade, a Administração Municipal vai contar com mais um equipamento. Na manhã desta quinta-feira (21), o prefeito Paulo Alexandre Barbosa anunciou o início das obras para a construção do Centro de Referência Especializado de Assistência Social à População de Rua (CREAS POP), no bairro Paquetá.

“Os investimentos na área social, prioridade principal do nosso governo, cresceram 27,9% entre 2012 e 2014. Desde o primeiro dia de governo estamos trabalhando na construção deste centro, que é de grande importância para as metas do Programa Recomeçar”, explicou o chefe do Executivo santista.

Obras durarão 15 meses e custarão R$ 2,3 milhões (Foto: Matheus Tagé/DL)

O tempo de duração das obras do CREAS POP é de 15 meses, com um custo de R$ 2,3 milhões. Serão 800 metros quadrados divididos em oito salas de atividades e atendimento, mais vestiário e lavanderia de roupa. Segundo o prefeito, o diferencial deste centro será o canil. “Os moradores de rua que tiverem um animal de estimação, às vezes, resistem por não terem onde deixar o animal. Nesse novo centro esse será o diferencial”, explica.

O local terá infraestrutura adequada para oferta de serviços que possibilitem a reintegração social e familiar com oficinas teatro, dança, música e sala de leitura. A nova unidade contará com 45 profissionais com assistentes sociais, psicólogos, terapeutas ocupacionais, operadores sociais, auxiliares de enfermagem e pessoal administrativo.

Resgate

As 281 pessoas que foram resgatadas das ruas foram encaminhadas voluntariamente para unidades de assistência social, tratamento para dependência e ao convívio familiar: 49 delas estão em tratamento contra a dependência em Itaquaquecetuba (através da Cristolândia), 47 estão em assistência em unidades da Secretaria Municipal de Assistência Social (Seas), 172 retornaram por livre e espontânea vontade ao convívio familiar ou à unidade de assistência na cidade de origem e 13 estão em internações voluntárias pela equipe de saúde da Prefeitura.

“Essa é uma ótima iniciativa para que os moradores deixem de vagar pelas ruas, resgatando a cidadania e dando atendimento médico. Faltava este tipo de equipamento para atingir todas as metas do programa”, comentou o secretário adjunto de Saúde, Renato Pastorello.

O mesmo acredita o secretário-adjunto de Assistência Social, Carlos Mota. “Antes de iniciar este governo, nós já sabíamos que havia a necessidade de um equipamento como este. Então logo no dia 02 de janeiro deste ano demos início ao processo de licitação”, conta.

Segundo Mota, no CREAS POP, o atendimento diário será 150 moradores. O Centro POP, que hoje funciona em um prédio alugado na Rua Conselheiro Saraiva, na Vila Nova, foi inaugurado em julho deste ano para atender cerca de 50 moradores de rua, mas, atualmente, o equipamento atende 100 pessoas. Com 115 dias de trabalho, o Centro Pop atendeu 1.285 pessoas: 17% mulheres, 83% homens e 3% idosos (acima de 60 anos). Segundo uma pesquisa da Prefeitura, jogos teatrais foi a atividade preferida de 56% dos frequentadores do centro, em outubro.