Pais não estão satisfeitos com escola do Humaitá

Segundo responsáveis, as crianças sempre estão sem aula, a diretora dificilmente é encontrada e há problemas de infraestrutura no local

Comentar
Compartilhar
24 ABR 201411h46

Pais de alunos da Escola Municipal Kelma Maria Tofetti, situada no Humaitá, em São Vicente, não estão satisfeitos com as reclamações que os filhos — crianças de três a seis anos de idade — têm feito em casa.

Segundo um grupo de 13 pais e responsáveis, há falta de professores, falta de segurança e problemas estruturais na escola. “Os alunos estão sempre sem aula ou saem cedo. Quando chegamos para deixar os alunos, sempre tem o recado: ‘Hoje não haverá aula, o professor não veio’”, afirmam em denúncia feita ao Diário do Litoral através dos canais de comunicação disponíveis.

Os pais também alegam que a desculpa é sempre a mesma: “O problema é sempre a caixa d’água. Os moleques invadem a escola, tomam banho dentro da caixa, defecam e urinam na água que é usada para as crianças beberem e também é usada para fazer a merenda”, reclamam.

Além destes problemas, os responsáveis afirmam que os banheiros sempre estão sujos mesmo com funcionárias trabalhando na limpeza da escola, o mato fica sem roçar na porta do local e uma grande poça de água se forma no pátio da escola toda vez que chove. “Além disso, as crianças reclamam que a merenda não dá para comer porque está sempre sem sal e reclamam também que não brincam na sala de brinquedos ou no parquinho da escola”, explicam.

 Segundo pais de alunos, o motivo da suspensão frequente apresentado pela escola é problema com a caixa d’água (Foto: Luiz Torres/DL)

Segundo os pais, a Secretaria de Educação (Seduc), a Sub-Prefeitura da Área Continental e a Prefeitura de São Vicente já foram informados sobre os problemas na escola, mas “até agora nada foi feito”. Eles garantem ainda que o difícil é encontrar a diretora na escola. “Ela nunca está. Ela é a responsável pelas crianças dentro da escola. A desculpa é sempre que ela está em reuniões na Seduc. Mas, todos os dias? Se acontecer algo coma as crianças, quem é responsável?”

A reportagem do DL foi até o local na tarde de ontem, entrou na escola, falou com funcionários, mas não conseguiu falar com a diretora. Diante das reclamações dos pais, questionamos a Secretaria de Educação da Cidade especificamente sobre a falta de segurança, a falta de infraestrutura e os problemas com a merenda, mas a Prefeitura de São Vicente, por meio da Seduc, se ateve a responder que irá averiguar as reclamações para tomar as providências necessárias.