Obra paralisada dos quiosques revolta moradores de São Vicente

As obras dos quiosques e do calçadão no Gonzaguinha pararam há mais de um mês. Prefeitura nega

Comentar
Compartilhar
12 MAI 201410h47

Em setembro do ano passado, a Prefeitura de São Vicente anunciou a revitalização da Orla da praia do Gonzaguinha, que previa a troca do piso do calçadão e construção de novos quiosques, partindo da Praça Tom Jobim até a Rua 11 de Junho. Menos de um ano do início dos trabalhos, as obras estão paradas e a urbanização de um dos principais pontos turísticos de São Vicente ainda não foi realizada, prejudicando assim o turismo no local.

Segundo os moradores do Gonzaguinha, as obras estão paradas há mais de um mês, e ninguém da Prefeitura ou responsável pela obra é visto no local. Eles reclamam que pela noite, os quiosques em construção viram ponto de usuários de drogas, aumentando a insegurança no local, além de ser abrigo para os moradores de rua. O comerciante Marcelo Gerim afirma que as obras na Cidade começam, mas não terminam. “A obra está parada há mais de um mês. Ninguém da construção é visto, nem da construtora, nem da Prefeitura. A Cidade está parada”, disse.

Marcelo, que é criador da página Sociedade Organizada de São Vicente no Facebook, uma associação civil organizada que busca melhorias e respostas para as reclamações dos moradores da Cidade, afirma que “à noite os quiosques são ponto de droga e os moradores de rua dormem dentro”. Marcelo disse que entrou em contato com a Prefeitura, mas não teve resposta.

Obras começaram em setembro de 2013 (Foto: Matheus Tagé/DL)

A reforma

A revitalização do local prevê, em seu projeto inicial, demolição e construção de novos quiosques, construção de sanitários públicos, nova iluminação, paisagismo, com jardins, bancos e árvores em cada intervalo de quiosques e a construção do novo posto de salvamento dos bombeiros. Porém, passando pelo local é visto que não há calçamento, muitos buracos são encontrados e as obras dos quiosques não estão em andamento.

O projeto de urbanização do local é de responsabilidade da Secretaria de Obras e Meio Ambiente, em convênio com a Agência Metropolitana da Baixada Santista (AGEM), e está orçada em R$ 3,8 milhões.

Questionada sobre a paralisação das obras, a Secretaria de Obras de São Vicente informa “que a reurbanização do Gonzaguinha não está parada e segue dentro do cronograma”, e que os trabalhos iniciados em setembro devem ser concluídos no prazo de um ano. A prefeitura ainda informa que o trecho entre as ruas 11 de Junho e Frei Gaspar já foi concluída.