Nova Déli não é segura para as mulheres, diz Suprema Corte da Índia

O número de denúncias de estupro aumentou consideravelmente.

Comentar
Compartilhar
11 JAN 201319h39

Em meio à crise gerada por um estupro coletivo que resultou na morte de uma jovem de 23 anos no mês passado, a Suprema Corte da Índia disse nesta sexta-feira (11) que a capital do país, Nova Déli, não é um lugar seguro para as mulheres.

Um painel de juízes da mais alta corte indiana disse que o estupro em questão não foi um fato isolado e que está em seus objetivos prover um ambiente seguro em que as mulheres possam viver com dignidade.

Como parte dos reflexos do caso, milhares de pessoas saíram às ruas do país em manifestações e o número de denúncias de estupro aumentou consideravelmente.

Em dezembro, a jovem de 23 anos foi estuprada por um grupo de homens em um ônibus. A estudante foi violentamente estuprada dentro de um ônibus na capital, enquanto estava acompanhada por um amigo. Os agressores usaram uma barra de ferro para atacá-la.

A estudante passou por três cirurgias, na Índia, antes de ser transferida para Cingapura. De acordo com os médicos, a causa da morte foi falência múltipla dos órgãos causada por severos ferimentos ao corpo e ao cérebro. A estudante teve parada cardíaca, infecção no pulmão e no abdômen, além de dano cerebral.