Muretas da Ponta da Praia começam a ser retiradas

O trecho entre o Canal 6 e as proximidades do Aquário foi interditado e cercado

Comentar
Compartilhar
04 JAN 2018Por Da Reportagem11h16
a Prefeitura retirou cerca de 30 metros de muretas ontem; a remoção foi para dar andamento ao projeto piloto que visa evitar a erosão causada pela ressacaFoto: Isabela Carrari/Prefeitura de Santos

As obras para evitar a erosão causada pela ressaca na Ponta da Praia começaram ontem. O trecho entre o Canal 6 e as proximidades do Aquário foi interditado e cercado. Além disso, os operários transportaram mais areia para o local e quebraram cerca de 30 metros das muretas da orla da praia.

Para a realização deste projeto piloto, duas grandes estruturas submersas serão montadas. Uma delas, a partir da mureta da orla, na altura da Rua Afonso Celso de Paula Lima, que segue mar adentro por 275 metros. A outra, paralela ao muro, em direção ao Canal 6, com 240 metros de extensão.

O cerceamento impede o acesso de banhistas e ambulantes. Já a movimentação de areia serve para o enchimento das geobags que, a partir de segunda, começam a ser assentadas no mar.

Para o preenchimento destas geobags serão necessários 7 mil metros cúbicos de areia, material retirado do Canal 2. O custo total da obra será de R$ 2,9 milhões, recurso liberado pelo Ministério Público Estadual, que é resultado de multa ambiental por acidente ocorrido no porto.

O projeto é embasado em nota técnica desenvolvida pelos professores Tiago Zenker Gireli e Patrícia Dalsoglio Garcia, da Unicamp, e não teve custos para a Administração Municipal. Ele tem aprovação de diversos órgãos públicos e foi apresentado aos munícipes em audiência realizada dia 14 de dezembro na Sociedade de Melhoramentos da Ponta da Praia.

Os comerciantes com licença para atuar na faixa de areia da Ponta da Praia serão deslocados para outras áreas da orla, sem prejuízo para as suas atividades.