Muçulmanos e cristãos entram em confronto no sul do Egito

Polícia precisou usar gás lacrimogênio para dispersar os muçulmanos que protestavam do lado de fora de uma igreja cristã.

Comentar
Compartilhar
18 JAN 201313h05

A polícia usou gás lacrimogêneo para dispersar centenas de muçulmanos que protestavam do lado de fora de uma igreja do sul do Egito. Eles exigiam uma investigação sobre a acusação de que um homem cristão agrediu sexualmente uma menina de 6 anos.

Moradores da cidade de Qena disseram que quatro lojas de propriedade de cristãos coptas foram incendiadas durante a noite, depois que os moradores da vila acusaram o proprietário de uma das lojas de molestar uma menina. Os confrontos aconteceram na vila de Marashda.

Os moradores disseram que os manifestantes atiraram pedras contra uma igreja local nesta sexta-feira e a polícia lançou gás lacrimogêneo para dispersar a multidão.

O diretor de segurança de Qena, Salah Maid, disse a meios de comunicação estatais que a polícia investiga as acusações contra o lojista.

Episódio de violência entre a minoria cristã e muçulmanos no Egito aumentaram nos últimos anos. As informações são da Associated Press.