GOVERNO SAUDE

Moradores de via em Mongaguá sofrem com alagamentos

Além das enchentes provocadas pelas chuvas, a população convive com vazamentos de esgoto na Av. Nove de Julho

Comentar
Compartilhar
04 FEV 2020Por Nayara Martins07h30
Moradores estão revoltados com as constantes enchentes na avenida, além dos vazamentos de esgoto e de águaFoto: Nair Bueno/DL

Moradores da Avenida Nove de Julho, no bairro Jardim Praia Grande, em Mongaguá, estão sofrendo com os constantes alagamentos provocados pelas chuvas. Além de também serem prejudicados com os vazamentos de esgoto e de água, já que nem todas as residências do local estão ligadas à rede de esgoto da Sabesp.

A moradora e diarista Sofia Brito, que mora há cerca de 20 anos no local, afirma que o problema de alagamentos provocado pelas chuvas já ocorre há mais de oito anos. "Ficamos ilhados com as enchentes, pois não passam veículos, além de conviver com o vazamento de esgoto na avenida".

Sofia explica que a Sabesp já fez obras de ligação na rede de saneamento básico, mas como nem todos os moradores têm as suas residências ligadas à rede, com as chuvas, surgem os vazamentos de esgoto.

Iracema Mendes Pereira, moradora há mais de 23 anos na avenida do Estado, que corta a avenida Nove de Julho, onde há um córrego, também estava bastante revoltada com a situação. "Estamos cansados de reclamar, mas ninguém resolve o nosso problema", desabafa. Segundo ela, com os alagamentos aparecem cobras, ratos e, ainda, eles correm o risco de contaminação com as águas de esgoto.

Outro lado

A Diretoria de Obras Públicas da Prefeitura de Mongaguá informou que existe um projeto de ampliação da rede de drenagem da Rua Rio de Janeiro, no Jardim Praia Grande. Segundo a prefeitura, esta obra tornará o escoamento da água da região mais eficiente, mas que a licitação ainda está em andamento.

Em janeiro, conforme a Administração, foram realizadas diversas ações de zeladoria no Jardim Praia Grande. A rua Marrocos e a avenida Nove de Julho receberam serviços de nivelamento e remoção de resíduos.

Sobre os vazamentos de esgoto e de água, a Sabesp informou que uma equipe técnica vistoriou esse trecho da avenida, onde não foi identificada nenhuma irregularidade no funcionamento dos sistemas de abastecimento de água ou de coleta dos esgotos. Trata-se do acúmulo de água de chuva no local e essa situação não envolve a companhia.

Segundo a Sabesp, os imóveis desta via já são atendidos pelas redes de distribuição de água e de coleta dos esgotos. A companhia esclarece que o direcionamento incorreto das águas das chuvas ao sistema de esgotamento sanitário sobrecarrega e entope as tubulações e equipamentos que são dimensionados para coletar apenas os esgotos domésticos. E que já informou representantes da prefeitura sobre a manutenção solicitada nas galerias de drenagem para escoamento das águas pluviais.