Mercado Municipal de São Vicente poderá ter uso misto, unindo comércio e cultura

Uso e manutenção do prédio da Praça João Pessoa, no Centro da Cidade, que em 2014 completa 85 anos, mobilizou comunidade

Comentar
Compartilhar
20 DEZ 201320h02

Se depender da comunidade, o Mercado Municipal de São Vicente passará a ter atividades comerciais e culturais. O uso misto do prédio da Praça João Pessoa, no Centro da Cidade, foi debatido nesta quinta-feira (19) por cerca de 140 pessoas, que atenderam ao chamamento dos Conselhos Municipais de Política Cultural (CMPC) e de Defesa do Patrimônio Histórico, Arquitetônico, Cultural e Turístico de São Vicente (CONDEPHASV).

Participaram do encontro representantes de inúmeras entidades comerciais e culturais da Cidade, além de comerciantes, produtores culturais, moradores das imediações e cidadãos de outros bairros, interessados no destino daquele próprio municipal. Todos debatendo a pergunta-tema do fórum: "O que queremos para o Mercado Municipal de São Vicente?"

A discussão, no entanto, não é nova. Ao longo dos anos, o Mercado teve função comercial descaracterizada, reformas internas que desfiguraram o projeto inicial, mantendo-se apenas a fachada histórica. O local tem ainda complicações jurídicas em relação a alguns boxes, referentes a antigas concessões.

Cerca de 140 pessoas participaram do debate (Foto: Divulgação)

Entre as ideias apresentadas por aqueles que se inscreveram para opinar, estavam desde o uso único tanto para comércio quanto para atividades culturais, à criação de uma biblioteca pública. Criação de cursos técnicos de artesanato, cafeteria, restaurante com pratos típicos da cozinha caiçara, espaço para eventos, galeria de arte, entre outras sugestões também foram levantadas.

As propostas serão agora compiladas (já dentro do conceito de uso misto do espaço), para encaminhamento à prefeitura. Os trabalhos foram orientados pelos presidentes do conselhos organizadores do encontro, Marcos Braga (Patrimônio Histórico) e Maurício Oliveira (Política Cultural). Presentes também como observadores os secretários municipais da Cultura, Amauri Alves, e do Comércio, Sílvio Vassão.