Lobão nega risco de desabastecimento de gás para indústria

Com a escassez de chuvas, os reservatórios que alimentam as usinas hidrelétricas estão em baixa.

Comentar
Compartilhar
09 JAN 201318h29

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse hoje (9) que não há risco de desabastecimento de gás para a indústria, por causa da decisão de manter as usinas térmicas em funcionamento em 2013. Com a escassez de chuvas, os reservatórios que alimentam as usinas hidrelétricas estão em baixa e o governo está recorrendo às termoelétricas. Setores da indústria expressaram preocupação com a baixa da oferta de gás por causa desse uso.

Segundo o ministro, o Brasil conta com 90 milhões de metros cúbicos de gás, dos quais 45 milhões são produzidos internamente, 30 milhões vêm da Bolívia e 15 milhões são gás natural liquefeito. “Não há a menor possibilidade. Não haverá desabastecimento para a indústria por causa das térmicas a gás que tiveram que ser despachadas", disse Lobão.

De acordo com o ministro, na reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, os participantes fizeram avaliação de rotina da capacidade do sistema elétrico. Ele negou que o objetivo do encontro temha sido a discussão de uma possível crise no abastecimento de energia. Conforme dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico, por causa da falta de chuvas, os reservatórios no Sudeste estão com 37% da capacidade, enquanto no Nordeste, essa porcentagem chega a 34% e no Norte e Sul, 41%.

Segundo o ministro, o Brasil conta com 90 milhões de metros cúbicos de gás (Foto: Divulgação)