Itanhaém marca audiência sobre concessão do aeroporto

Audiência com o ministro da Secretaria da Aviação Civil será, em Brasília, no dia 11 de fevereiro, às 11h

Comentar
Compartilhar
31 JAN 201410h41

O prefeito de Itanhaém, Marco Aurélio Gomes, informou na manhã de ontem que a audiência com o ministro da Secretaria da Aviação Civil, Wellington Moreira Franco, em Brasília, será no dia 11 de fevereiro, às 11 horas. No encontro, o chefe do Executivo discutirá o andamento da anuência ao processo de concessão para gestão da iniciativa privada do Aeroporto de Itanhaém, cujo processo inclui mais quatro aeródromos do Estado.

A reunião deverá contar com a presença de outros prefeitos. Também devem participar representantes das prefeituras dos aeroportos estaduais envolvidos na concessão, das cidades de Bragança Paulista, Jundiaí, Ubatuba e Campinas.

A portaria que autorizava o processo de concessão havia sido publicada no último dia 8 de janeiro no Diário Oficial da União, mas acabou sendo revogada cinco dias depois pela Secretaria de Aviação Civil, pasta que cuida do assunto. Nas matérias veiculadas na imprensa, a explicação para a revogação é que houve um erro interno no Gabinete do Ministro. O processo de análise do documento ainda não foi oficialmente concluído.

Off-shore
A previsão dos técnicos é que a entrega das obras acontecerá no segundo semestre. O investimento é de cerca de R$ 14 milhões.

Obras devem ser concluídas no segundo semestre (Foto: Luiz Torres/DL)

Terminal receberá 60 mil pessoas/mês

O prefeito Marco Aurélio Gomes vistoriou, na manhã de ontem, a obra de construção do Terminal de Passageiros que a Petrobras está construindo na área do Aeroporto Estadual Antonio Ribeiro Nogueira Júnior, em Itanhaém, acompanhado do gerente geral da Unidade de Operações de Exploração e Produção da Bacia de Santos, Osvaldo Kawakami. Segundo os técnicos da estatal, a obra deve ser concluída no início do segundo semestre deste ano.

O Aeroporto de Itanhaém serve atualmente como base estratégica de operações aéreas da Petrobras, que investe cerca de R$ 14 milhões na construção do novo terminal, que terá capacidade para receber até 60 mil pessoas/mês.