IPEM-SP abre plantão de regularização de taxímetro em três cidades da Baixada Santista

Os próximos plantões do IPEM-SP na Baixada Santista serão nos dias 04/02 (terça-feira) em Peruíbe; 05/02 (quarta-feira) em Itanhaém; e 28/02 (sexta-feira) em Santos

Comentar
Compartilhar
29 JAN 201413h09

Desde o início de janeiro, os taxistas do interior e litoral do Estado já podem consultar no site do IPEM-SP (www.ipem.sp.gov.br) as datas dos plantões de verificação de taxímetro, voltados especificamente àqueles que precisam validar o instrumento após mudança de veículo, troca ou reparo.

Os próximos plantões do IPEM-SP na Baixada Santista serão nos dias 04/02 (terça-feira) em Peruíbe; 05/02 (quarta-feira) em Itanhaém; e 28/02 (sexta-feira) em Santos.

A aferição anual é obrigatória a todas as categorias de táxi. No caso dos plantões, somente os taxistas que precisam validar o instrumento após mudança de veículo, troca ou reparo do taxímetro devem comparecer. O taxista deve agendar o horário de atendimento pelo site e emitir a GRU (Guia de Recolhimento da União) para o pagamento da taxa de verificação. Sem o agendamento online e a taxa quitada, o atendimento não é realizado.

Desde o início de janeiro, os taxistas do interior e litoral do Estado já podem consultar no site do IPEM-SP (www.ipem.sp.gov.br) as datas dos plantões de verificação de taxímetro (Foto: Divulgação)

Na data da verificação, o taxista ou responsável pelo veículo deve apresentar os seguintes documentos:

- alvará de estacionamento fornecido pela prefeitura;

- certificado de propriedade do veículo;

- certificado de verificação do IPEM-SP, referente ao exercício de 2013;

- GRU quitada;

- comprovante de endereço;

- guia de serviço fornecida por oficina credenciada pelo IPEM-SP.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (13) 3235-7815 ou pessoalmente na Sede da Delegacia de Ação Regional do IPEM-SP em Santos, localizada à Rua Amazonas, 83 – Campo Grande

Os taxistas autuados por trafegar com o taxímetro irregular têm dez dias para apresentar defesa ao órgão. As multas podem variar de R$ 500 a R$ 5.000, dobrando na reincidência.

Fique de olho

Para identificar se o taxímetro foi verificado pelo IPEM-SP, o consumidor deve observar a existência do lacre amarelo, que impede o acesso à regulagem do aparelho, e do selo do Inmetro com a frase "verificado até 2015”. “Caso o lacre esteja rompido, o consumidor não deve aceitar a corrida, pois o aparelho pode apresentar medição incorreta”, alerta Alexandre Modonezi, superintendente do IPEM-SP.

O valor da bandeira é estabelecido pela prefeitura de cada município, mas é importante estar atento ao horário em que as bandeiras ‘um’ e ‘dois’ podem ser utilizadas, para não pagar mais caro pela corrida.