Instituto Histórico e Geográfico de Santos pede ajuda

IHGS recebe R$ 3 mil da Prefeitura mas não é suficiente

Comentar
Compartilhar
24 FEV 201320h08

Um dos principais patrimônios culturais de Santos, o Instituto Histórico e Geográfico(IHGS), enfrenta dificuldades financeiras. O imóvel que abriga, em seu acervo, livros e documentos históricos que datam do século 18, necessita de verba para recuperação de toda a sua estrutura. O prédio apresenta infiltrações nas paredes e precisa de reparação no telhado e pintura. O imóvel é tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Santos (Condepasa).

A presidente do IHGS, Carolina Ramos, afirma que o Instituto, que é particular, enfrenta um déficit mensal nas despesas de R$ 1 mil e tenta manter a atividade do Instituto como pode com a subvenção da Prefeitura, no valor de R$ 3 mil. “Nossos associados também contribuem como podem, mas mesmo assim precisamos de mais recursos para manter o Instituto”.

A umidade também está danificando os livros que foram doados para a instituição. “Nosso acervo tem livros didáticos, de geologia, documentos da Câmara dos Deputados do Estado de São Paulo do século 18 e 19, livros de autores santistas, entre outros. Os livros também estão mal conservados por falta de verba para restauração. O Instituto é de interesse público, por isso procuramos às autoridade para que nos ajudem financeiramente”. Carolina já solicitou ao prefeito João Paulo Papa o aumento no valor da subvenção mensal.  

Carolina assumiu a presidência do instituto no ano 2000 e desde então tem trabalhado em sua recuperação. Lá organizou o museu indígena, a pinacoteca, a biblioteca infantil e uma sala de convenções. “A situação já foi bem pior. Quando cheguei aqui a hemeroteca já estava perdida devido à infestação de cupins, baratas e até ratos. Aos poucos fomos organizando o espaço”. O instituto ainda possui uma sala de leitura e espaços para artigos marinhos, outro voltado ao patrono do Instituto — o poeta Martins Fontes —, monarquia, além de uma relíquia: a escrivaninha que pertenceu ao terceiro presidente da República do Brasil, Prudente José de Morais e Barros.

Roubos

Carolina afirmou que a situação financeira pirou muito este ano após quatro invasões de ladrões no Instituto. “Roubaram dois computadores e uma escada grande que era emprestada e tivemos que pagar outra ao dono”. As janelas do térreo ainda estão com os vidros quebrados pelos ladrões. Só no último ano, o Instituto foi visitado por 1.645 pessoas. O IHGS é aberto ao público para pesquisa de segunda a sexta-feira, das 9 às 12h e das 14 às 18 horas.

Histórico

O IHGS foi fundado em 19 de janeiro de 1938 por Durwal Ferreira, Francisco Martins dos Santos, Júlio Conceição e Edmundo Amaral e está sediado na Avenida Conselheiro Nébias, nº 689, no Boqueirão, desde 1943.