GOVERNO SAUDE

Instalação de contador de veículos preocupa moradores de Itanhaém

Equipamento é colocado na Rodovia Padre Manoel da Nóbrega e moradores creem em estudo para instalação de pedágio no local

Comentar
Compartilhar
04 FEV 2020Por LG Rodrigues07h00
Segundo o DER, equipamento é um contador de veículosFoto: Nair Bueno/DL

A Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, em Itanhaém, recebeu um novo equipamento que voltou a ligar o alerta da população e de políticos do município sobre a possibilidade de uma praça de pedágio ser instalada no trecho. Um contador de veículos foi posicionado no Km 326 da via, próximo ao local onde a Artesp já havia anunciado durante uma audiência pública em outubro de 2019.

A 'saga' da instalação de novos radares no trecho por parte do Governo do Estado não é um temor novo da população. Tudo começou ainda durante a segunda quinzena de outubro de 2019, quando uma audiência pública realizada pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) abordou a concessão do Lote Rodovias do Litoral Paulista. A proposta abrange trechos das rodovias SP-98 (Mogi-Bertioga), SP-88 (Pedro Eroles) e SP-55 (Padre Manoel da Nóbrega e Cônego Domênico Rangoni/Rio-Santos). Com a terceirização, essas vias devem ganhar quatro praças de pedágios.

O primeiro desentendimento registrado ocorreu durante esta audiência. Os vereadores de Itanhaém explicaram que todo o processo não foi caracterizado pelos elementos que compõem uma reunião destinada a debater importantes tomadas de decisões por órgãos governamentais. Mesmo assim, a eventual instalação de pedágios seguiu em frente.

Numa última tentativa para barrar a medida, um vídeo feito pela Câmara, que conta com a participação do presidente Hugo Di Lallo, tentou dissuadir o governador João Doria.

A preocupação dos parlamentares se deve ao fato de que o pedágio, uma vez posicionado, obrigaria motoristas que não querem pagar a taxa a adentrar pelas ruas do município para 'driblar' a praça, o que deverá acarretar em trânsito intenso em vias de Itanhaém que já não conseguem suportar o fluxo de veículos que a cidade registra diariamente.

"Tudo leva a crer que seja mais uma etapa para instalação de uma praça de pedágio em Itanhaém. Vamos cobrar explicações do Governo do Estado, buscar o apoio de nossos deputados e continuar lutando contra esse absurdo que é cobrar pedágio do morador. Eu vou fazer um requerimento cuja aprovação procurarei logo na primeira semana de fevereiro. O diálogo com o Estado, através da Artesp, foi muito ruim desde o primeiro momento, então estamos em busca de obter mais informações, mas tudo nos leva a crer que é um controlador de tráfego para o pedágio, porque a informação que tivemos é de que foi instalado um aqui, outros em Mogi das Cruzes, Caraguatatuba e Pedro de Toledo, coincidentemente, os quatro pontos onde estão previstas praças de pedágio", afirma Di Lallo.

O Diário do Litoral entrou em contato inicialmente com a própria Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp). Apesar disso, a instituição respondeu dizendo que não seria capaz de responder os questionamentos da Reportagem sobre o estado atual da instalação do novo equipamento ou da eventual praça de pedágio. Devido a isso, a própria assessoria de imprensa repassou a demanda para o Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

Já o DER informou que o equipamento mencionado pelos vereadores e população de Itanhaém se trata de um contador de veículos e completou dizendo que a localização dos radares fixos, que realizam a fiscalização de velocidade nas rodovias estaduais, está disponível no site do DER. O motivo da instalação do novo recurso, porém, não foi explicado pelo DER, que se limitou a dizer que solicitou a implantação de uma sinalização que esclareça aos motoristas que o equipamento não é um radar, e que ele ficará na rodovia até fevereiro de 2020. Todos os questionamentos sobre as eventuais praças de pedágio não foram respondidos pela Artesp ou DER e as empresas tampouco comentaram se Mogi das Cruzes, Caraguatatuba e Pedro de Toledo também ganharam um contador de veículos.