Governo Dilma evita reajuste maior para os aposentados

Presidente assinou ontem medida provisória com política de reajuste só para salário mínimo

Comentar
Compartilhar
25 MAR 201510h47

 A presidente Dilma Rousseff assinou na tarde de ontem, a Medida Provisória (MP) que estabelece a atual política de reajuste do salário mínimo para o período entre 2016 e 2019. Segundo ela, a política de valorização do mínimo ajudou o País a atravessar a crise internacional sem que os trabalhadores fossem penalizados.

“A política nacional de valorização do salário mínimo começou a valer ainda no Governo Lula. Em 2011, mandamos um projeto (para o Congresso) que cobria até 2015, e  agora o novo projeto cobre até 2019. Portanto, até 2019, essa política que representou ganho real do salário dos trabalhadores mais pobres passa a ser novamente uma realidade”, afirmou, em cerimônia no Palácio do Planalto.

Dilma disse que nos últimos anos houve um reajuste acumulado em torno de 70% no salário mínimo. “Isso representou, certamente, um dos motivos pelos quais nós conseguimos passar por esse momento de dificuldade da crise”, completou.

Categoria esperava por aumento real (Foto: Arquivo/DL)

Expectativa frustrada

Aposentados ficam frustrados com a decisão do Governo, uma vez que a categoria, integrada por cerca de 10 milhões, que ganham acima do mínimo, esperavam pelo aumento real.

“O Governo está, mais uma vez, de brincadeira com os aposentados. Está brincando com uma coisa muito séria, ferindo nossas expectativas, e nós vamos dar o troco”, diz Antônio Carlos Domingues da Costa, presidente da Associação Nacional dos Aposentados( Anapi).

Ele diz que categoria aguardava, com expectativa, pelo aumento real nos benefícios.