Furto de água na Baixada cresce cerca de 400% nos primeiros quatro meses de 2016

Foram encontradas 395 irregularidades, que desviaram 31,711 milhões de litros de água. Volume é suficiente para abastecer sete mil pessoas por um mês

Comentar
Compartilhar
31 MAI 2016Por Da Reportagem08h00
O número passou de 97 em 2015, para 395 na Região Metropolitana da Baixada SantistaO número passou de 97 em 2015, para 395 na Região Metropolitana da Baixada SantistaFoto: Matheus Tagé/DL

As equipes caça-fraude da Sabesp intensificaram as ações e o número de irregularidades nos primeiros quatro meses deste ano foi cerca de 400% maior que no mesmo período de 2015. O número passou de 97 em 2015, para 395 na Região Metropolitana da Baixada Santista. Isso significa que, em média, foram identificados 3,3 flagrantes de furto de água por dia.

O volume de água desviado foi de 31,711 milhões de litros, suficiente para abastecer sete mil habitantes durante um mês inteiro. A companhia cobra retroativamente a tarifa pela água furtada e pelo esgoto coletado. Além disso, o responsável pela fraude responde por crime de furto e pode pegar até oito anos de detenção. O prejuízo estimado com as fraudes do 1º quadrimestre deste ano foi de R$ 953,8 mil.

Das 395 fraudes identificadas neste ano, 298 foram registradas em residências, o que representa 75% do total. Em imóveis comerciais, ocorreram 69 casos e na indústria e economia mista foram 28. No entanto, as fraudes em comércios geram um desvio muito maior de água por causa do tipo de consumo. A violação das ligações (63,2%) e dos hidrômetros (36,8%) foram as principais ocorrências.

Em parceria com a Secretaria de Segurança Pública, a Sabesp realiza operações conjuntas com a polícia, para casos em que o fraudador impede a fiscalização e para prender os agentes fraudadores – que vendem a adulteração para moradores, comerciantes e indústrias.

A Sabesp ressalta a importância da população na identificação do crime de furto de água. O serviço de caça-fraude existe na Baixada Santista desde 1998 e conta com profissionais especializados no assunto. As vistorias são feitas após monitoramento do consumo e apuração de denúncias feitas aos canais de atendimento: Central de Atendimento Telefônico (0800 055 0195) e Disque- Denúncia (181). A ligação é gratuita e não é preciso se identificar.