X
Cotidiano

Falta de cozinheira em escola ecoa na Câmara de Santos

O vereador Lincoln Reis (PR) intermediou, junto à Subprefeitura dos Morros, mais duas funcionárias para trabalhar no refeitório da unidade e ainda da UME Cyro de Athaíde Carneiro

A revolta online da mãe Marly Siqueira por conta da falta de cozinheira na Unidade Municipal de Ensino (UME) Deputado Rubens Lara, localizada na Rua Lucinda de Matos, 293 - Morro Nova Cintra, ecoou na Câmara de Santos. O vereador Lincoln Reis (PR) intermediou, junto à Subprefeitura dos Morros, mais duas funcionárias para trabalhar no refeitório da unidade e ainda da UME Cyro de Athaíde Carneiro. As profissionais começam hoje.   

Leia: Mãe expõe falta de cozinheira em escola de Santos

Na tarde de ontem, o vereador esteve pessoalmente nas unidades escolares para conversar com as diretoras das escolas, Maria Adelaide Gomes Barros e Virgínia Maria Mendes, e confirmou que além das duas novas merendeiras nomeadas pela Secretaria de Educação (Seduc), conseguiu que duas funcionárias da subprefeitura também fossem indicadas para trabalhar nas escolas e ajudar a normalizar a situação definitivamente. Essas começam no próximo dia 14.  

“São mais de 900 refeições servidas diariamente, é necessário no mínimo seis pessoas e é pra isso que estamos trabalhando. Sabemos que muitas crianças vêm pra escola esperando essa alimentação, não podemos deixar que fiquem por mais tempo nesse sofrimento de um dia ter a alimentação adequada e no outro não”, explicou o parlamentar, que também esteve reunido com o secretário de Educação Carlos Motta sobre as manifestações através das redes sociais.

Audrey

Além de Reis, a vereadora Audrey Kleys (PP) apresentou um requerimento na segunda-feira (5), em caráter de urgência, questionando quais medidas serão adotadas para normalizar a situação das escolas citadas na reportagem, publicada ontem no Diário do Litoral. A parlamentar disse ontem que esteve pessoalmente visitando as escolas para conferir de perto a situação e tomar as providências necessárias junto à Seduc.    
   
O filho

Marly Siqueira resolveu publicar em seu perfil, nas redes sociais, a foto do filho mostrando um bilhete da direção do colégio alertando a situação. No bilhete, a direção informava aos pais que o “almoço e o lanche da tarde estarão suspensos em função da falta de cozinheiras”. Apenas os alunos da Escola Total iriam receber almoço. “Aos demais, será fornecido lanche seco”, completava a direção.  

A Seduc esclareceu que das seis cozinheiras, quatro estão em licença médica e que a situação foi normalizada após remanejamento de funcionárias para que a merenda fosse servida normalmente no dia seguinte, quando a direção disse que não haveria comida. A Prefeitura destaca também que nomeou duas novas cozinheiras e que uma delas inicia hoje na UME Rubens Lara. A Seduc destaca que o fornecimento da merenda está sendo feito e que todas as refeições foram servidas ontem normalmente.

 

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Prefeitura de Mongaguá promove protagonismo infantil em minissérie

O projeto 'Liga do ECA' foi inspirado pela 'Liga da Justiça' e as crianças puderam construir seus personagens de acordo com os ensinamentos passados pelos educadores

ELEIÇÕES 2022

Janones critica 'arrogância' de discurso da esquerda no Twitter

'Arrogância de setores da elite intelectual não lhes permite compreender que João Gomes forma mais opinião que Chico e Caetano', escreveu

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software