GOVERNO 3

Faixas de pedestres estão apagadas em ruas e avenidas de Itanhaém

Moradores reclamam e se sentem inseguros ao atravessar vias com maior movimento na cidade.

Comentar
Compartilhar
07 OUT 2019Por Nayara Martins08h30
O problema atinge até as avenidas mais movimentadas, como a Rui Barbosa, a Condessa de Vimieiros, e a João Mariano, no Centro .Foto: NAYARA MARTINS

Garantir a segurança dos pedestres na travessia das vias. Essa é a função da faixa de pedestres. Porém, nas principais ruas e avenidas da região central de Itanhaém as faixas não oferecem a devida segurança aos usuários, já que a maioria está apagada.

A reportagem do Diário do Litoral esteve nos locais e constatou que muitas precisam de reforço na pintura. O problema atinge até as avenidas mais movimentadas da cidade, como a Rui Barbosa, a Condessa de Vimieiros, e a João Mariano, no Centro e, ainda, a João Mariano Ferreira, na Vila São Paulo.

A estagiária Emily Carano da Silva Leite, e Edvaldo Ramos, desempregado, afirmam que as faixas estão quase todas apagadas na avenida Rui Barbosa. "Sempre atravessamos na faixa para ter mais segurança, mas elas estão desaparecendo. A cidade também não conta com semáforo para pedestre e nem para veículos nas ruas de maior movimento", ressalta Emily.

Edvaldo lembra ainda que na avenida Rui Barbosa deveria ter ao menos um semáforo, próximo à escola estadual Benedito Calixto, onde o movimento de estudantes é intenso durante o dia.

Outra moradora que se sente insegura é a autônoma Adalbavi Augusta Alves. "Se utilizando a faixa já corremos risco, imagina se não tiver a sinalização", observa. Ela é favorável à instalação de alguns semáforos nas principais vias da cidade, para organizar melhor o trânsito.

O aposentado Rubens Guedes, morador no Suarão, também reconhece que as faixas de segurança apagadas no centro prejudicam o pedestre: "O motorista acaba não respeitando a faixa e nem pode ser multado por isso, já que a sinalização não aparece".

Conforme o Código de Trânsito Brasileiro, não dar preferência à pessoa é considerada uma infração, rende multa e pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

SEMÁFOROS

A população também reclama dos riscos ao atravessar algumas vias, mesmo nos locais onde funcionam os semáforos. Em Itanhaém só existem dois pontos com a sinalização de semáforos - no trevo de ligação entre a Vila São Paulo e o bairro Cidade Anchieta, e outro no trevo da Cesp, que faz ligação entre o Jardim Sabaúna e o Belas Artes, na rodovia Padre Manuel da Nóbrega.

No trevo da Vila São Paulo, entre as avenidas João Mariano Ferreira e a rua Valdemir Biller Brandão, no viaduto Professor Vildemar de Souza Oliveira, apesar de contar com semáforos, os moradores se sentem inseguros ao atravessar as ruas, nos dois sentidos.

"É um verdadeiro descaso com a população. Deveria haver um semáforo para pedestres, além das faixas de segurança nas travessias entre o viaduto e a rua", desabafa o vendedor ambulante Luiz Faria, que passa diariamente no local. Na sua opinião, a prefeitura também deve instalar semáforos nas vias principais da cidade.

A professora Luciana Bastos, moradora do Cesp, conta que os semáforos no trevo desse bairro sempre quebram em períodos de feriados, quando o movimento de veículos aumenta. "Mesmo na faixa de pedestres, ao atravessarmos, os motoristas não respeitam, especialmente os motoqueiros", completa a professora.

Para o vereador Sílvio César de Oliveira (PSDB), ex-secretário de Trânsito e Segurança do município, existe um saudosismo dos moradores ao pensar que a cidade ainda não precisa de semáforos. "As pessoas têm a opinião dividida, nem todos são favoráveis a esse tipo de sinalização. Itanhaém não é mais uma vila e, hoje, tem mais de 100 mil habitantes", observa.

"A prefeitura pode elaborar um estudo para avaliar a necessidade de instalação de semáforos, em quais pontos existe maior movimento de veículos e o tempo que as pessoas aguardam para atravessar a rua". Reconhece ainda a importância de um serviço de manutenção constante para manter a pintura nas faixas de pedestres.

Na época em que esteve à frente da secretaria municipal de Trânsito e Segurança, entre 2013 a 2016, Oliveira foi o responsável pelo primeiro projeto de semáforos, instalado nos dois trevos da cidade no final de 2016.

OUTRO LADO

A prefeitura de Itanhaém informou que as faixas de pedestres são pintadas conforme o desgaste ocasionado pelo tempo. E ainda que serão feitas as pinturas dos locais, conforme cronograma já previsto pela Secretaria de Trânsito e Segurança Municipal.

Segundo a prefeitura, em casos de vias com grande fluxo de veículos, as faixas têm um maior desgaste e acabam apagando rapidamente. A previsão é que a pintura seja realizada entre os meses de outubro e novembro.

Já em relação aos semáforos, conforme a Administração, há estudos para a implantação nos cruzamentos da avenida Emídio de Souza e José Batista Campos, no acesso ao Jardim Oásis e, ainda, no cruzamento de quem vem da pista sentido Jaime de Castro, no sentido Centro.

Informou também que há 15 fases de semáforos que operam em conjunto na região do trevo da Cesp e no trevo da avenida João Mariano Ferreira.

Colunas

Contraponto