Exposição fotográfica empodera mulheres sambistas de Santos

Mostra homenageia dez mulheres santistas e suas relações de amor, protagonismo e resistência essenciais para a existência do samba em Santos

Comentar
Compartilhar
31 MAR 2017Por Da Reportagem10h00
O projeto busca homenagear o centenário do samba através da reverencia a importantes personalidades femininas do mundo do sambaFoto: Rodrigo Montaldi/DL

Tendo como pano de fundo a intrínseca relação entre as mulheres e o samba, a exposição fotográfica “Ciatas de Santos – Mulheres que no Samba Resistem”, idealizada pelo fotógrafo do Diário do Litoral Rodrigo Montaldi, homenageia dez mulheres santistas e suas relações de amor e protagonismo essenciais para a resistência do gênero musical na cidade.

Contemplado pelo 5º Concurso de Apoio a Projetos Culturais Independentes no Município de Santos através do FACULT (Fundo de Assistência à Cultura de Santos), o projeto busca homenagear o centenário do samba, comemorado no biênio de 2016/2017, através da reverencia à importantes personalidades femininas do mundo do samba e de histórias contadas (e fotografadas) de mulheres santistas sambistas.

A abertura da exposição acontece hoje às 19h no CAIS (Centro de Atividades Integradas de Santos) - Av. Rangel Pestana, 184 - Vila Mathias - Santos/SP (ao lado do Arena Santos) e contará com a presença da Roda de Samba da Velha Guarda Guerreiros de Ogum da Escola de Samba X-9, a qual será responsável pela musicalidade do lançamento da exposição.

“O processo de pesquisa partiu de letras de sambas compostas ou interpretadas por sambistas como Clementina de Jesus, Dona Ivone Lara, Elza Soares, Clara Nunes, Beth Carvalho, Leci Brandão, Alcione e Jovelina Perola Negra. Essas letras retratam a vida e o cotidiano de quem mora nas cidades, com destaque para as populações mais pobres. O samba sempre foi resistência e as mulheres foram essenciais para esse processo. Se não fosse por elas, o samba não existiria hoje, tanto no cenário nacional como na cidade de Santos”, destaca Montaldi.

As 10 personagens fotografadas são personalidades importantes para cidade. Integrantes da Velha Guarda do Samba santista, presidente de escola de samba, compositoras, intérpretes, chefes das alas das baianas, ex-porta bandeiras e ex-passistas: verdadeiras histórias vivas. São elas Elizabeth De Lourdes Santos (Tia Beth), Irene Barbosa, Regina de Jesus, Ruthe de Almeida Lázaro (Tia Ruthe), Sandra Maria Silva Barreto (Sandrinha Magia Xisnoveana) e Selma Donizeti L. De França da X-9; Telma Muniz (Tia Telma) e Vera Lucia da Conceição (Verinha) da União Imperial; Sandra Franco (Sandra Campeoníssima Franco) da Brasil e Maria Aparecida Silva (Tia Cida) da Mãos Entrelaçadas.

"Como a personagem central de inspiração da exposição é a Tia Ciata e todo o universo das tias baianas, mulheres importantes para o surgimento e resistência do samba, a estética da exposição remeterá ao ambiente dessas empregadas domésticas, cozinheiras, quituteiras, trabalhadoras "do lar". Sendo assim, as fotografias são apresentadas em tecidos e expostas em varais, remetendo as roupas que as lavadeiras esticavam para secar", finaliza o fotógrafo.