Estacionamento da Pinacoteca Benedicto Calixto será cobrado

A cobrança do uso do espaço, de propriedade da Pinacoteca, começará quando a empresa vencedora da licitação obter o alvará de funcionamento para operar o local

Comentar
Compartilhar
01 ABR 201511h35

O estacionamento para os visitantes da Pinacoteca Benedicto Calixto, no Boqueirão, em Santos, deixará de ser gratuito. Em breve, quem for visitar o casarão e acompanhar uma exposição no local deverá preparar o bolso para estacionar o carro na área interna do equipamento.

A terceirização e a cobrança do estacionamento foram confirmadas pelo diretor jurídico da Fundação Benedicto Calixto, Divanir Tucci. Ele não soube precisar o valor da cobrança — “será o preço praticado pelo mercado” —, e informou que o visitante da Pinacoteca terá um desconto de 50% na primeira hora em que o veículo permanecer na vaga.

A cobrança do uso do espaço, de propriedade da Pinacoteca, começará quando a empresa vencedora da licitação obter o alvará de funcionamento para operar o local. 

Segundo explicou Tucci, três empresas participaram da licitação. No local, há uma placa informando que a Rede Porto Praia de Estacionamento vai gerenciar as vagas.

O diretor da fundação deixou claro que um dos itens da licitação era a exigência de experiência de “no mínimo 7 anos de atuação na Baixada Santista”. “Não pegamos qualquer empresa para explorar o espaço”.

Empresa já fez melhorias, com pintura de solo e iluminação, no local (Foto: Matheus Tagé/DL)

Requerimento

A terceirização do espaço foi alvo de um requerimento com pedido de informações apresentado pelo vereador José Teixeira Filho, o Zequinha Teixeira (PRP). Ele questiona, por exemplo, se a passagem de pedestres entre a entrada do estacionamento, na Avenida Epitácio Pessoa, e a praia, pela frente do imóvel, será interditada.

Conforme Divanir Tucci, essa “passagem” não existe oficialmente, mas sim um acesso ao prédio da Pinacoteca, que muitos moradores do Boqueirão acabam usando para cortar caminho até à avenida da praia, evitando assim a volta no quarteirão.

Moradores do Boqueirão procuraram Zequinha Teixeira quando notaram a faixa informando a exploração do local. Alguns ficaram indignados porque pensavam que a área era da Prefeitura e, portanto, não poderia ser explorada por uma empresa privada.

A ideia de terceirizar o espaço, diz o diretor da fundação, também foi motivada por um caso isolado de furto de pertences de dentro de um carro estacionado no local.

O diretor destacou que toda a verba obtida com o estacionamento será repassada para a Pinacoteca. A fundação recebe subsídio anual de R$ 18 mil da Prefeitura mas, segundo ele, essa quantia não cobre sequer um mês de despesas do equipamento.