Em audiência no MEC, Cubatão defende implantação de curso de Medicina na Cidade

Ministro Aloizio Mercadante recebeu prefeita Marcia Rosa nesta quarta-feira (13). Pasta realiza pré-seleção de municípios para nova fase do programa Mais Médicos

Comentar
Compartilhar
14 NOV 201319h57

A prefeita Marcia Rosa participou de audiência na noite desta quarta-feira (13), em Brasília, com o ministro da Educação, Aloizio Mercadante. A Chefe do Executivo defendeu a implantação de um curso de graduação em Medicina no Município. "Queremos o curso de medicina em Cubatão. Temos uma rede de atendimento e um hospital que nos credencia nesse pedido. Essa luta faz parte de uma série de medidas que estamos desenvolvendo para melhorar a saúde oferecida à população", afirmou.

Cubatão é um dos municípios inscritos na pré-seleção do programa Mais Médicos, do Governo Federal, em que o Ministério da Educação (MEC) autorizará a instalação de cursos de graduação em Medicina por instituições particulares de educação superior.

Mercadante explicou que a seleção das cidades contempladas será feita com base no edital do programa, por meio de uma análise técnica. "Pela sua localização geográfica e por sua importância regional, tenho certeza de que Cubatão tem todas as condições para ser escolhida".

Acompanhado do secretário Nacional de Regulação e Supervisão da Educação Superior, Jorge Messias, o ministro elogiou o esforço da prefeita em solicitar esse e outros investimentos federais, como o programa Mais Educação, de educação em tempo integral, e a construção de novas unidades de creches e pré-escolas por meio do ProInfância.

Prefeita Marcia Rosa durante audiência com o ministro da Educação, Aloizio Mercadante (Foto: Secom/Cubatão)

Há uma semana, durante encontro realizado pelo Governo Federal com prefeitos e prefeitas do estado de São Paulo, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, declarou seu apoio à instalação do curso de Medicina em Cubatão. Os municípios de Santos e São Vicente também confirmaram apoio ao pleito cubatense, inclusive através da oferta de suas estruturas de atendimento para realização de estágios monitorados, requisito imprescindível para a graduação dos alunos.

Curso de Medicina

Por meio do Programa Mais Médicos, o Governo Federal pretende criar 11.447 vagas de graduação em Medicina e mais de 12 mil vagas em residência médica, universalizando a oferta para o setor até 2018. Para isso, o Ministério da Educação autorizará e incentivará a criação de novos cursos de Medicina, por parte de instituições privadas, em cidades que hoje não têm esse tipo de oferta, mas possuem infraestrutura que contemple a plena formação de profissionais. O MEC fará a habilitação dos municípios onde serão implantados esses cursos.

Cubatão se enquadra em todas as exigências do pré-edital: possuir mais de 70 mil habitantes, não ser capital de estado e não possuir oferta de curso de Medicina em seu território. O resultado do processo seletivo deve ser publicado em 20 de dezembro.