Deputado alerta para chegada de possível trigo contaminado

O motivo do alerta é a carga de trigo a ser descarregada no Brasil, importada dos Estados Unidos, que pode estar contaminada por um fungo nocivo à saúde

Comentar
Compartilhar
04 FEV 201322h28

O deputado estadual Fausto Figueira (PT) alertou o Ministério da Agricultura e à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre a chegada do navio IVS Canda ao Porto de Santos, que deve ocorrer entre os dias 10 e 15 de setembro. O motivo do alerta é a carga de trigo a ser descarregada no Brasil, importada dos Estados Unidos, que pode estar contaminada por um fungo nocivo à saúde.

O deputado pede aos órgãos competentes que tomem providências para impedir o desembarque caso o produto esteja contaminado. Em julho passado, o deputado havia alertado as autoridades sobre a contaminação de grande parte do trigo americano pelo fungo fusarium SP, responsável pela presença de altos níveis de vomitoxina, toxina vegetal nociva à saúde humana e que pode representar uma ameaça à agricultura brasileira.

Segundo notícia divulgada pela agência Reuters, parte da produção do trigo de inverno dos EUA apresentou altos níveis de vomitoxina. Um operador americano entrevistado pela Reuters disse que o trigo tipo suave vermelho de inverno (utilizado na produção de farinha para pães, massas e rações), na safra deste ano, apresentou contaminação pela toxina de 10 partes por milhão (ppm). A Organização Mundial de Saúde fixa como aceitável um máximo de 1 ppm nos produtos alimentícios prontos para o consumo humano.

A presença da toxina no trigo também ameaça a criação de animais alimentados com ração que pode estar contaminada com excesso da toxina. O consumo de produtos derivados desses animais também pode provocar danos à saúde humana, segundo estudos.

Em seres humanos, a intoxicação causada pela vomitoxina pode causar dores de cabeça, febre, inflamação do trato gastro-intestinal e, em casos extremos, pode provocar hemorragia e morte.

"É preciso que as autoridades sanitárias e da agricultura brasileiras cobrem providências do Governo americano para evitar que essa contaminação possa chegar às nossas mesas ou seja utilizada na fabricação de rações animais. São indispensáveis medidas para restringir a entrada no Brasil de trigo fora dos padrões sanitários ideais”, afirmou o deputado.

DIPOV

A Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura informou, por meio da assessoria de imprensa, que o Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal (DIPOV) recebeu a comunicação do deputado, por email, e a orientação é para que os fiscais de inspeção no Porto de Santos coletem amostras do produto para analisar se o trigo está contaminado ou não pelo fungo.