Departamento de Estradas de Rodagem assumirá a Estrada Guaraú-Una

A informação da medida tomada pelo DER foi confirmada nesta quarta-feira (12) pelo deputado estadual Paulo Corrêa Jr

Comentar
Compartilhar
13 AGO 2020Por Carlos Ratton07h00
Estrada Guaraú-Una é muito importante ao turismo ecológicoFoto: Divulgação

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER), do Governo do Estado, assumirá a estrada vicinal Guaraú - Una, que liga Peruíbe a Iguape. A informação da medida tomada pelo DER foi confirmada nesta quarta-feira (12) pelo deputado estadual Paulo Corrêa Jr, responsável pelo projeto de lei na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) estabelecendo a estadualização da estrada. A confirmação vai de encontro ao que o Diário do Litoral antecipou na edição de 22 de junho.

"Vim ao DER com o compromisso firmado e a certeza de que a estrada Guaraú-Una finalmente passará a receber a manutenção necessária. O superintendente Paulo César prontamente se colocou à disposição para resolver a questão e, a partir do ano que vem, o trecho será cuidado pelo DER", garantiu Corrêa Jr.

A estrada vicinal Guaraú-Una, além de ligar as duas cidades, é a única forma de acessar a comunidade de Itigunçu, em Iguape. Também é o único acesso a seis comunidades tradicionais inseridas no interior das unidades de conservação categorizadas como Reserva de Desenvolvimento Sustentável da Vila da Barra do Una e Parque Estadual do Itinguçu, importantes pontos turísticos situados nos municípios de Peruíbe e Iguape.

"O objetivo desse projeto é ajudar de alguma forma a melhorar aquele trecho que precisa de constante manutenção. Em dias de chuva, por exemplo, o trecho fica completamente desgastado e acaba não sendo cuidado da maneira devida, já que não há recursos financeiros municipais para realizar a conservação da via. A maneira de viabilizar isso é passar o domínio da estrada ao DER, assim a ligação entre Peruíbe e Iguape ganhará mais estrutura, pois o Estado tem melhores condições de conservar a estrada", reafirma Paulo Corrêa.

Cinco quilômetros

 

A Estrada do Guaraú tem cinco quilômetros de extensão e foi construída há mais de 40 anos (inaugurada em janeiro de 1978).

Projetada para dar vazão apenas ao pequeno trânsito local, a pista viu seu movimento crescer em função das belezas naturais da Juréia e passou a receber um maior fluxo de veículos de turistas.

Hoje, a estrada está obsoleta e necessita de uma ampla intervenção. Estimativas recentes indicam que mais de duas mil pessoas moram nos bairros Guaraú e Barra do Una, tendo a estrada como única ligação com o restante da Cidade.

Ideia

A ideia partiu da Mongue Proteção ao Sistema Costeiro, organização sem fins lucrativos, declarada de utilidade pública, representada pelo munícipe Plínio Melo.

Para se tornar intermunicipal e ficar sob responsabilidade do Estado, a Guaraú-Una depende de um decreto estadual igual ao 53.146/08 que define os parâmetros para a implantação, gestão e operação de estradas no interior de Unidades de Conservação de Proteção Integral no Estado de São Paulo.

"Nossa cidade padece, há anos, de alguns problemas recorrentes, que vão e voltam consumindo grandes quantidades de dinheiro público e tumultuando a relação entre o poder constituído e a população. Um deles é a manutenção da estrada de acesso à Vila da Barra do Una, Perequê, Barro Branco, Tocaia, Caramborê e Itinguçu. Esta última comunidade localizada no município de Iguape, mas com único acesso através da Estrada Guaraú-Una, já conferindo a esta estrada as características de intermunicipal", afirma Melo.

"Não raro, na estação das chuvas, a estrada sofrer interrupções impedindo o acesso de crianças e adolescentes à escola assim como, acesso a médicos, farmácia, serviços de assistência social. A cada chuva, inúmeros alagamentos criam atoleiros impedindo a passagem de veículos pequenos e, principalmente, o trafego de ônibus coletivos e escolares. Anualmente duas ou três ações emergenciais, repetidas, consumindo milhares de reais do poder público sem, contudo resolver o problema", finaliza o munícipe.

Ele acredita que medida fortalecerá a vocação do turismo ambiental, assim com a geração de renda e emprego de várias comunidades que se valem do turismo como única fonte de renda.