SEDUC

Conselho de Segurança da ONU condena execução de 21 cristãos egípcios na Líbia

“Este crime demonstra mais uma vez a brutalidade do Estado Islâmico, que é responsável por crimes e abusos contra pessoas de todos os credos, etnias e nacionalidades", diz o comunicado

Comentar
Compartilhar
16 FEV 201512h45

O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) condenou, na noite de domingo (15), o “hediondo” assassinato de 21 cristãos egípcios na Líbia pelo Estado Islâmico.

“Este crime demonstra mais uma vez a brutalidade do Estado Islâmico, que é responsável por crimes e abusos contra pessoas de todos os credos, etnias e nacionalidades, sem olhar a qualquer valor básico da humanidade”, diz comunicado do Conselho de Segurança da ONU.

O Estado Islâmico divulgou, nesse domingo, um vídeo que mostra a decapitação de 21 cristãos egípcios que foram sequestrados na cidade de Sirte, no Norte da Líbia.

(Foto: Reprodução/Excelsior/Al Hayat)

Na mesma nota, o Conselho de Segurança das Nações Unidas faz referência à resolução, adotada por unanimidade na quinta-feira (12), para bloquear o financiamento de grupos jihadistas, que obtêm milhões com contrabando de petróleo, tráfico de antiguidades e resgates pagos pela libertação de reféns.

“Os membros do Conselho de Segurança sublinham a necessidade da plena implementação da Resolução 2.199, adotada em 12 de fevereiro, para cortar as redes de apoio do Estado Islâmico”, diz o comunicado.