SEDUC

Confira 15 motivos para visitar Santos o ano todo

O destaque fica por conta das atrações do Centro Histórico, que hoje rivalizam com a orla a atenção dos turistas

Comentar
Compartilhar
17 JUN 2019Por Da Reportagem18h01
Santos abriga o maior jardim à beira-mar do mundoFoto: Divulgação/PMS

Praias, parques, museus, passeios ao ar livre, igrejas e vários festivais. O que não falta em Santos são boas opções para entreter o turista durante o ano todo. Afinal, a Cidade que consagrou Pelé e que abriga o maior jardim à beira-mar do mundo é considerada uma das mais procuradas do País e recebeu, só no ano passado, cerca de 7 milhões de visitantes. 

O destaque fica por conta das atrações do Centro Histórico, que hoje rivalizam com a orla a atenção dos turistas. O aumento do interesse por essa região foi uma das principais constatações de um levantamento realizado no Carnaval deste ano, com 501 turistas.

Segundo o estudo, a área histórica do Centro de Santos desperta atualmente mais interesse nos turistas do que seis anos atrás – 33,6% contra 13,1%, considerando apenas o Museu do Café, Linha Turística do Bonde e Complexo Turístico do Monte Serrat. 

E como a primeira impressão é a que fica, vale lembrar que a maioria dos entrevistados recomendaria a Cidade para outras pessoas e 95,2% pretendem retornar. 

Locais mais visitados de Santos:

1. Praias - são cerca de 7 quilômetros de extensão com faixa contínua de areia. Uma boa opção para caminhar e contemplar as praias do José Menino, Pompeia, Gonzaga, Boqueirão, Embaré, Aparecida e Ponta da Praia. Sem contar o maior jardim à beira-mar do mundo, reconhecido pelo Guiness Book, onde é possível andar de bicicleta.

2.Aquário - Considerado o mais antigo do Brasil, foi inaugurado há 70 anos. É um espaço pioneiro em projetos de preservação do mar e de seus habitantes. O local tem 32 tanques com tubarões, pinguins e invertebrados, mas seu mais ilustre morador é o leão-marinho Abaré-Inti. O local é Praça Vereador Luiz La Scala s/nº, na Ponta da Praia. Abre de terça a sexta-feira, das 9h às 18h, e aos sábados, domingos e feriados, das 9h às 20h.   

3. Museu do Café - Inaugurado em 1998, o Museu do Café, no Centro Histórico, preserva e divulga a história da bebida no Brasil e no mundo. Objetos, documentos e recursos audiovisuais apresentam a evolução da cafeicultura e o desenvolvimento político, econômico e cultural do país. Fica na Rua XV de Novembro, 95, no Centro Histórico. Abre de terça a sábado, das 9h às 17h, e domingo, das 10h às 17h. A cafeteria funciona de segunda a sábado, das 8h às 18h. Aos domingos, das 10h às 18h.   

4. Orquidário - O parque zoobotânico que reproduz a Mata Atlântica tem cerca de 3.500 orquídeas de 120 espécies, a grande maioria afixada nas árvores. Foi inaugurado em 1945 e é o segundo equipamento público em visitação na Cidade, atrás apenas do Aquário. O endereço é Praça Washington s/nº, no José Menino. Aberto ao público de terça a domingo, das 9h às 18h (bilheteria até às 17h).   

5. Museu Pelé - Localizado nos antigos casarões do Valongo, apresenta a incrível trajetória de Edson Arantes do Nascimento, o Rei do Futebol. O local expõe documentos, camisas, chuteiras, bolas, condecorações e troféus, entre muitos outros itens do acervo pessoal de Pelé. O endereço é Largo Marquês de Monte Alegre, 1, Valongo. Abre de terça a domingo, das 10h às 18h (bilheteria fecha às 17h). 

6. Linha Turística do Bonde - Para quem quiser fazer uma viagem no tempo, a dica é um passeio de bonde por 40 pontos de interesse histórico e cultural. A saída é da Estação do Valongo - prédio de 1867, da primeira ferrovia paulista. Os elétricos dos séculos 19 e 20 percorrem 5km no Centro Histórico em cerca de 40 minutos, em roteiro monitorado por guia de turismo. 

Largo Marquês de Monte Alegre, 2, Valongo, no Centro Histórico. 
De terça a sexta-feira: das 11h à 17h (saídas a cada hora cheia)
Sábados: 10h30 às 17h (saídas a cada meia hora cheia)
Domingos e feriados: das 11h à 17h (saídas a cada hora cheia).

7. Jardim Botânico - Em passeio monitorado, é possível conhecer os 90 mil m² de área verde, com acervo vivo de mais de 300 espécies vegetais catalogadas, divididas em 20 coleções botânicas com espécies da Amazônia, da Mata Atlântica, árvores de madeira de lei, 65 espécies de palmeiras e espécies em extinção. O parque abre todos os dias, das 8 às 18 horas, e fica na Rua João Fraccaroli s/nº, no Bom Retiro.  

8. Ilha Diana - Os amantes da natureza e da vida caiçara podem conhecer um pedaço de terra isolado do mundo urbano. A Ilha Diana fica a 20 minutos de barco do Centro de Santos, na Área Continental da Cidade. No local, é possível saborear o peixe azul-marinho, típico dessa culinária, servido com banana verde, arroz e salada.

9. Caruara - Também na Área Continental, a região é repleta de opções que vão de trilhas com banho de cachoeira a rodas de conversa com antigos moradores. Os passeios são monitorados e agendados para um roteiro de oito horas de duração. 

10.Museu de Arte Sacra - O complexo arquitetônico beneditino é composto pela Igreja de Nossa Senhora do Desterro e o antigo Mosteiro de São Bento. Foi inaugurado em 1981, por iniciativa do então bispo diocesano Dom David Picão, e tem mais de 600 peças sacras e religiosas. Entre os destaques, a imagem mais antiga do Brasil com autor conhecido: a de Nossa Senhora da Conceição, datada de 1560, de João Gonçalo Fernandes. O endereço é Rua Santa Joana D'Arc, nº 795 (sopé do Morro São Bento). Abre de terça a domingo, das 10h às 17h.   

11. Igrejas - A visita cultural às igrejas de Santos remonta à fundação da antiga vila, em 1546. Cercadas de lendas, histórias de bravura e resistência, e sobretudo de muita fé, elas são o retrato vivo da devoção do povo santista. Entre os destaques, a Basílica de Santo Antônio do Embaré e a Catedral, ambas em estilo neogótico, o Conjunto do Carmo (patrimônio nacional desde 1940) e o Santuário de Santo Antônio do Valongo, uma das primeiras igrejas do País.  

12. Monte Serrat - O visitante pode subir até o topo do Monte Serrat de bondinho. Ou optar pela escadaria formada por 402 degraus e 14 nichos que reproduzem a Via Sacra. O passeio vale a pena. Do alto, uma vista de 360 graus da Cidade, de tirar o fôlego.   

13. Pantheon dos Andradas - Inaugurado em 7 de setembro de 1923, abriga o jazigo das cinzas de José Bonifácio de Andrada e Silva, o 'Patriarca da Independência', e de seus irmãos Antonio Carlos, Martim Francisco e padre Patrício Manuel. O espaço em estilo colonial tem colunas inspiradas nas lojas maçônicas e iluminação indireta. Oito painéis de bronze em baixo-relevo descrevem cenas da história do Brasil, além de inscrições de frases dos irmãos Andradas.   

14. Festivais - Realizados ao longo de todo ano, os festivais também são boas alternativas que trazem a Santos turistas de vários cantos do País. O Santos Café, que promove o turismo e a bebida com música, oficinas, artesanato e gastronomia; o Valongo Festival Internacional da Imagem, com diversas atividades em um dos bairros mais fotogênicos da Cidade; o Festival Santista de Teatro (Festa), que estimula a produção cênica; o Curta Santos, com mostras de filmes e exibições de longas-metragens; o Mirada - Festival Íbero-Americano de Artes Cênicas, com dança, teatro e cultura popular; a Tarrafa Literária, criada para evidenciar a literatura e conquistar novos leitores; o Festival de Cenas Teatrais - Fescete, considerado o primeiro do gênero no País.

15. Queima de fogos - Considerado o segundo do País, perdendo apenas para o Rio de Janeiro, o espetáculo para marcar o fim de ano atrai cerca de 1 milhão de turistas à Cidade. Além da queima de fogos, que utiliza tecnologia de primeiro mundo, um show para celebrar a virada concentra uma verdadeira multidão na orla.