Cinco pinguins resgatados em praias da região estão reabilitados e aptos à soltura

Animais receberam tratamento no Instituto Gremar, no Guarujá (SP)

Comentar
Compartilhar
07 NOV 2018Por Da Reportagem14h40

Já são cinco os pinguins-de-magalhães (Spheniscus magellanicus) que passaram por tratamento na Base de Reabilitação do Instituto Gremar nesta temporada. 
 
A espécie habita águas temperadas – especialmente da Argentina e do Chile - e costuma buscar alimento em correntes frias, próximas à costa. Este comportamento, somado às ações antrópicas que podem afetar sua cadeia alimentar, explica sua alta incidência também no litoral brasileiro.
 
Os animais foram resgatados entre os meses de agosto e outubro em ações do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) nas praias da região: Riviera de São Lourenço (Bertioga), Ilha Comprida (Iguape), Ilha de Queimada Grande (Itanhaém). Itaquitanduva (São Vicente) e  Canto do Forte (Praia Grande). Nas duas últimas, os resgates foram feitos, respectivamente, por equipes do IPEC e do Biopesca. 
 
Todos estavam abaixo do peso, com sinais de exaustão e desidratados, com quadros isolados de hipotermia e lesões em suas asas. Após cuidados especiais, que incluíram alimentação, suplementação vitamínica e testes de mergulho, eles apresentaram evolução em seu quadro clínico e foram considerados aptos à soltura.

A ação será realizada nos próximos dias pela equipe do Instituto Argonauta, em Ubatuba (SP), que já vinha tratando de outros animais da mesma espécie recentemente.
 
O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) foi desenvolvido para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama.
 
Seu objetivo é avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos. 
 
O Gremar é uma das instituições que integram o projeto em sua chamada Fase 1. Possui base em funcionamento no Guarujá e atua em prontidão 24h, podendo ser contatado pelo telefone 0800-642-3341.