Cantareira volta a subir mesmo sem chuva

Com tal marca, falta a esse manancial subir mais 10 pontos percentuais para repor a primeira cota do volume morto (água que fica abaixo das comportas e que precisa ser bombeada)

Comentar
Compartilhar
02 ABR 201514h32

O nível do Sistema Cantareira foi o único dos seis mananciais de abastecimento da região metropolitana de São Paulo a apresentar aumento no volume de água armazenada entre ontem (1º) e hoje (2) ao ganhar mais 0,1 ponto percentual e atingir 19,2% de sua capacidade.

Com tal marca, falta a esse manancial subir mais 10 pontos percentuais para repor a primeira cota do volume morto (água que fica abaixo das comportas e que precisa ser bombeada). O volume morto começou a ser utilizado em 16 de maio do ano passado, quando havia baixado a zero o nível do volume útil, água captada por gravidade (acima das comportas). Naquele período, o sistema teve acréscimo de 182,5 bilhões de litros, o equivalente a 18,5% do total.

O nível do Sistema Cantareira foi o único a apresentar aumento no volume de água armazenada (Foto: Vagner Campos/A2 Fotografia)

Nos cinco sistemas restantes administrados pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), quatro tiveram queda e um ficou estável. No Alto Cotia, o nível permaneceu inalterado em 65%. No Guarapiranga, a taxa caiu de 85% para 84,9%; no Rio Grande, de 97,1% para 97%; no Rio Claro, de 43,3% para 43,2% e, no Alto Tietê, de 22,7% para 22,6%.