Bula encara ‘batismo de fogo’ hoje no Lollapalooza

Power trio santista se apresenta, pela primeira vez, em um festival de música. Banda estará no palco Onix, entre 12h55 e 13h40.

Comentar
Compartilhar
27 MAR 201519h07

Lançado no fim de 2014 e nos palcos desde o início deste ano, o power trio santista Bula fará sua estreia em festivais hoje (28). A banda, formada por Marcão Britto, Lena Papini e André “Pinguim” Ruas, encara o Lollapalooza Brasil como um batismo de fogo. Outra banda de Santos que se apresenta no festival é a Zimbra.

“Pode ser considerado, sim. Acho que cada show é um batismo de fogo, tem uma história diferente para a gente. Tem sido assim. Estamos bem felizes com a resposta do público. Em todos os shows que fizemos temos tido uma resposta bem legal”, disse Marcão, que é guitarrista e vocalista do grupo.

“A expectativa é muito grande. Vai ser o primeiro grande festival que a gente vai fazer. Logo o Lollapalooza Brasil, que é um festival que sempre admiramos pelo conceito, por tudo que representa essa oportunidade. Vai ser um show bem legal. Nenhum de nós tocou lá ainda e estamos bastante ansiosos por esse show”, completou o vocalista.

O grupo já visitou as instalações do Lollapalooza Brasil, que será realizado até amanhã no autódromo de Interlagos, em São Paulo. Marcão relatou um ‘frio na barriga’ pelo momento. “Passou pela cabeça sobre como foi bom sempre acreditar nos nossos sonhos. Quem acredita sempre alcança. Deu um frio na barriga muito grande. A gente vê toda aquela estrutura sendo montada, aqueles palcos gigantescos e saber que a gente vai tocar ali para uma galera é bem legal e muito gratificante. É o principal motivo para uma banda existir. Você estar tocando em um festival desses, para um grande público e com toda essa estrutura”.

A Bula está programada para tocar no palco Onix, entre 12h55 e 13h40. Mais cedo, no palco Axe, irá se apresentar, entre 12h e 12h30, a Zimbra, outra banda santista. As duas são as únicas representantes da Baixada Santista no festival.

Banda é a primeira a se apresentar no palco Onix (Foto: Matheus Tagé/DL)

“A gente tem muito orgulho de poder representar Santos no festival. É uma cidade que sempre teve músicos excelentes e bandas muito boas em todas as fases da geração do rock nacional. Não pensamos muito nisso, mas temos muito orgulho de levar o rock caiçara para um patamar maior. É muito legal. Santos é uma cidade muito respeitada na música. Tem muito músico talentoso”, comentou o guitarrista.

Sobre o setlist da banda, Marcão não revelou muitos detalhes, mas garantiu que a apresentação será focada no trabalho autoral do trio. “Muitas vezes deixamos para decidir na hora, mas nosso show é focado nas nossas músicas. Nós temos algumas opções de bandas que a gente adora, clássicos do rock, mas deixamos para decidir na hora, de acordo com a resposta do público. A gente está tendo uma resposta muito positiva com nossas músicas. No primeiro show, em São Paulo, a galera cantou todas as músicas do início ao fim. Normalmente, você ouve as pessoas cantando só as músicas de trabalho. Isso nos deixou bem tranquilos em relação ao show. Mas guardamos algumas surpresas na manga e decidimos na hora. É mais emocionante assim”, disse o vocalista, que adiantou que os integrantes irão focar no show da Bula, sem realizar apresentações especiais com outros grupos.

Por fim, Marcão comentou sobre a oportunidade de tocar no mesmo dia que um ídolo da adolescência: Robert Plant, vocalista do Led Zeppelin. “Com certeza tem um peso maior. Especialmente ter ali o Robert Plant, no meu caso. Eu sou muito fã dele através do Led Zeppelin. Uma banda que fez parte da minha formação. Vai ser uma noite memorável. Poder assistir de perto o show dele, podermos tocar também. É incrível poder saber que o cara que estava nos discos da minha adolescência e que fez parte da minha formação vai estar tocando ali do lado. Isso não tem preço, pode ter certeza”.