Braga confirma resolução estabelecendo aumento de etanol na gasolina

O aumento da mistura foi decidido hoje à tarde em reunião do Cima, presidido pelos ministros da Agricultura, Fazenda, Desenvolvimento e Minas e Energia

Comentar
Compartilhar
04 MAR 201520h22

O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, confirmou nesta quarta-feira, 4, a mudança na mistura do etanol anidro na gasolina, passando o porcentual no combustível de 25% para 27%. A mudança vale a partir do dia 16 de março.

"Acabamos de assinar a resolução do Cima (Conselho Interministerial do Açúcar e do Álcool), estabelecendo o aumento da mistura do etanol na gasolina a partir do dia 16 de março, para o porcentual de 27%. Essa é uma operação em que todos ganham - ganha o produtor, ganha o mercado, ganha o sistema de abastecimento de energia no Brasil e ganha com certeza o nosso arranjo produtivo", disse Braga, depois de participar de reunião no Palácio do Planalto com o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante.

Os ministros da Fazenda, Joaquim Levy, da Agricultura, Kátia Abreu, e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, também acompanharam as discussões.

Eduardo Braga confirmou o aumento de etanol na gasolina (Foto: Divulgação)

"Nunca tivemos dúvida de que esse porcentual não traria prejuízo mas a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) tinha o direito de ter as suas dúvidas e querer testes, fazer toda a análise técnica, laboratorial. Soubemos compreender, esperar um pouco mais para que todos os setores pudessem estar convictos", destacou Kátia.

"Estamos com 1 bilhão de litros de etanol estocados e, com essa decisão do governo, nós teremos a condição de tirar esse estoque de etanol. Esses 2% a mais da mistura significarão 1 bilhão de litros por ano de etanol no mercado, e o resultado disso é muito mais do que um resultado financeiro para o setor de etanol", destacou a ministra.

O aumento da mistura foi decidido hoje à tarde em reunião do Cima, presidido pelos ministros da Agricultura, Fazenda, Desenvolvimento e Minas e Energia. Uma portaria deverá ser publicada na edição desta quinta-feira do Diário Oficial da União informando a mudança.