X

Cotidiano

Termina protesto de sem-teto na zona sul de São Paulo

Eles protestaram contra a ameaça de despejo da ocupação Jardim União, em Santo Amaro, na zona sul da capital paulista

Pedro Henrique Fonseca

Publicado em 04/03/2015 às 18:51

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Um grupo de sem-teto encerrou por volta das 16h30 um protesto iniciado às 08h30 de hoje (4)  em frente à Estação Berrini da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Eles protestaram contra a ameaça de despejo da ocupação Jardim União, em Santo Amaro, na zona sul da capital paulista.

Segundo a Polícia Militar, aproximadamente 400 pessoas participaram da manifestação. Por volta das 16h, eles chegaram a fechar três faixas do lado direito da Avenida Nações Unidas, na Marginal Pinheiros, sentido Castello Branco.

De acordo com um dos coordenadores do grupo, Luiz Cerqueira Leri, a manifestação seguiu de forma pacífica e o único incidente foi a prisão de um dos manifestantes pela Polícia Militar. Encaminhado ao 11º Distrito Policial, o manifestante já foi solto.

Por meio das redes sociais, a Rede de Comunidades Extremo Sul anunciou que a luta continuará até que uma solução seja encontrada para o problema.

“Não temos solução para as famílias que constroem a vida em terreno ocupado há tanto tempo. Temos, ainda, de lidar com mais uma ameaça de reintegração de posse, com o risco de perder tudo o que foi construído e de termos mais famílias na rua com a repressão policial. Ainda haverá muita luta para impedir mais violência e para construir uma comunidade definitiva”, ressaltou Luiz Cerqueira.

Os sem-teto reclamam que aguardam, desde 2013, a promessa das autoridades estadual e municipal de apresentar uma área com capacidade e viabilidade para atender à demanda habitacional das famílias que ocupam o terreno da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU).

A CDHU informou que a "Secretaria de Estado da Habitação vem auxiliando o movimento, juntamente com a municipalidade, na viabilização de atendimento habitacional para o grupo. A solução encontrada foi a construção de um empreendimento, por meio do Programa Minha Casa Minha Vida – Entidades, com apoio de recursos financeiros da Agência Casa Paulista (governo estadual) e da Casa Paulista (município)".

Conforme a CDHU, diversas áreas em desapropriação para atendimento às famílias foram indicadas pela rede de comunidades. O escolhido foi um terreno particular no Jardim Itajaí, "O movimento ficou de negociar a aquisição com o proprietário", acrescenta a nota da companhia.

"Cabe esclarecer que o terreno invadido pela Rede Extremo Sul já tem ordem judicial de reintegração de posse. No local, A CDHU construirá 517 unidades habitacionais para atendimento à demanda de famílias que vivem em áreas de mananciais", concluiu a CDHU.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Oportunidade

Praia Grande oferece 50 vagas gratuitas para oficina de fotografia

Inscrições começam na próxima segunda (22), no Palácio das Artes

COPA DO BRASIL

Sorteio define mandos das semis da Copa do Brasil; veja quem decidirá em casa

É a primeira vez na história que uma competição de cunho nacional terá a decisão das semis sendo do eixo Rio-SP, com 2 de cada estado

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software