Ataques da Arábia Saudita atingem campo policial e matam ao menos 36 pessoas

Os ataques foram direcionados ao acampamento dos rebeldes, que ocupa uma grande parte do centro de Sanaa e está localizado perto do palácio presidencial

Comentar
Compartilhar
27 MAI 201512h17

Dezenas de ataques aéreos liderados pela Arábia Saudita abalaram a capital do Iêmen, Sanaa, nesta quarta-feira, atingindo áreas dos rebeldes e um campo do comando policial, onde mataram ao menos 36 policias e mais de 100 ficaram feridos, de acordo com o Ministério da Saúde. Ontem, a Organização das Nações Unidas (ONU) adiou o início das negociações de paz na região, que começariam na quinta-feira, a pedido do Iêmen, que quer mais tempo para se preparar.

Os ataques aéreos são parte de uma operação militar liderada pela Arábia Saudita, que começou no dia 26 de março, com o intuito de atingir os rebeldes xiitas, conhecidos como houthis, e as tropas do exército do presidente deposto, Ali Abdullah Saleh. Os dois grupos são aliados e ocupam a capital e grande parte do norte do país.

Os ataques foram direcionados ao acampamento dos rebeldes, que ocupa uma grande parte do centro de Sanaa e está localizado perto do palácio presidencial.

De acordo com um repórter da Associated Press, diversas ambulâncias foram vistas passando em direção aos ataques e uma fumaça preta cobria toda a região, impedindo a visibilidade.

Muitos dos moradores de Sanaa buscaram abrigo em porões e lojas foram fechadas, enquanto as ruas da cidade estavam desertas.

Testemunhas disseram que aviões também bombardearam uma base naval em Hodeida, controlada pelos rebeldes. Jatos sauditas e aliados também bombardearam fortalezas dos rebeldes na cidade de Saada e Hajjah.