Após terremoto, ilha grega declara estado de emergência

O terremoto de magnitude 5,8 ocorreu nas proximidades da cidade de Lixouri. O abalo foi seguido por dezenas de outros tremores, alguns dos quais atingiram magnitude 5,2

Comentar
Compartilhar
27 JAN 201413h52

Escolas foram fechadas depois de autoridades locais terem declarado estado de emergência na ilha grega de Cefalônia nesta segunda-feira, um dia depois de um terremoto ter destruído casas e ferido ao menos sete pessoas.

O terremoto de magnitude 5,8 ocorreu nas proximidades da cidade de Lixouri. O abalo foi seguido por dezenas de outros tremores, alguns dos quais atingiram magnitude 5,2, segundo o Instituto Ateniense de Geodinâmica.

Autoridades locais disseram que duas balsas estavam a caminho de Cefalônia para fornecer ajuda aos moradores cujas casas foram danificadas.

Sismólogos disseram que era muito cedo para dizer se o tremor de domingo, listado pelo Serviço Geológico dos Estados Unidos como sendo de magnitude 6,1, foi o terremoto principal ou se outro mais forte pode atingir a ilha nos próximos dias.

"Precisamos de 48 horas para dizer, com 99% de certeza, de que este foi o terremoto principal", afirmou o diretor de pesquisa do Instituto de Geodinâmica de Atenas, Thanassis Ganas. Ele acrescentou, no entanto, que as consequências do tremor de domingo pareciam se desenvolver suavemente, e que as várias réplicas foram normais e esperadas.

Em 1953, a Cefalônia e as ilhas vizinhas Zaquintos e Ítaca foram devastadas por um grande terremoto de magnitude 7,2, três dias após um tremor de magnitude 6,4. O tremor destruiu quase todas as construções das ilhas, matou centenas de pessoas e feriu milhares. Após o incidente, as edificações construídas na região têm de atender a rigorosos critérios antissísmicos.

Terremotos são comuns em toda a Grécia, mas a maioria é fraca e não deixa vítimas nem causa danos.