Angra 1 volta a produzir e retorna ao Sistema Interligado Nacional

No momento, Angra 1 se encontra em processo de ampliação de potência, disse a assessoria de imprensa da Eletronuclear

Comentar
Compartilhar
11 MAR 201516h34

A Usina Nuclear Angra 1 retornou ao Sistema Interligado Nacional de energia elétrica às 11h32 de hoje (11), informou a Eletronuclear, subsidiária da Eletrobras que administra a Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto, localizada em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro.

A usina foi desligada no dia 19 de fevereiro devido a falhas nos condensadores de vapor das turbinas do circuito secundário. No momento, Angra 1 se encontra em processo de ampliação de potência, disse a assessoria de imprensa da Eletronuclear.

O religamento de Angra 1 era previsto para o dia 13, mas foi antecipado para hoje, segundo a empresa, graças ao rápido processo de purificação da água do sistema secundário da usina. É nesse sistema que é produzido o vapor que vai girar a turbina para produzir eletricidade.

A usina foi desligada no dia 19 de fevereiro devido a falhas nos condensadores de vapor das turbinas do circuito secundário (Foto: Divulgação)

A unidade voltará a gerar energia de forma progressiva, até atingir sua capacidade máxima, que é 640 megawatts.

De acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico, a política operativa adotada pelo governo, desde o final do ano passado, objetiva preservar ao máximo os estoques das hidrelétricas. Isso significa que, mesmo com o retorno à capacidade plena de Angra 1, que é uma termelétrica nuclear, isso não significa que outra usina térmica será desligada.

“Significa que vai-se economizar mais água dos reservatórios”, informou a assessoria de imprensa. Segundo o órgão, as termelétricas mais caras (a carvão e a gás natural) só começarão a ser desligadas quando os reservatórios das hidrelétricas voltarem aos níveis normais.