Prefeitura de São Paulo garante volta da vacinação na quarta e rebate gestão Doria

De acordo com Aparecido, a equipe de Gorinchteyn foi avisada sobre o problema ao menos três vezes durante o fim de semana

Comentar
Compartilhar
22 JUN 2021Por Gazeta de S. Paulo21h32
Edson Aparecido durante entrevista a José Luiz Datena, da Rádio BandeirantesEdson Aparecido durante entrevista a José Luiz Datena, da Rádio BandeirantesFoto: Reprodução/Rádio Bandeirantes

Em entrevista à “Rádio Bandeirantes" nesta terça-feira, o secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, garantiu a normalização da vacinação na Capital a partir de quarta e rebateu o secretário estadual, Jean Gorinchteyn, que havia dito mais cedo que a gestão João Doria (PSDB) havia sido "surpreendida" pela decisão da prefeitura de suspender a imunização contra Covid-19 nesta terça por falta de doses. De acordo com Aparecido, a equipe de Gorinchteyn foi avisada sobre o problema ao menos três vezes durante o fim de semana.

"Informamos duas vezes no sábado o secretário Jean Gorinchteyn que era preciso que nos enviasse mais. O prefeito Ricardo Nunes também mandou uma mensagem no sábado à coordenadora do Plano Estadual de Vacinação, Regiane de Paula, alertando que não teríamos mais doses para continuar a aplicação na segunda. Ontem novamente tentei falar com Jean e não consegui. Nos atendeu o secretário-executivo, Eduardo Ribeiro, muito atencioso. Ele sempre nos atende e nos socorre. O secretário só me retornou por volta das 22h", completou Edson Aparecido à "Rádio Bandeirantes", em entrevista a José Luiz Datena.

Segundo Aparecido, a cidade receberia nesta terça do Estado 186 mil doses da CoronaVac e 30 mil doses da AstraZeneca, o que permitirá a normalização do calendário de imunização no dia seguinte. Além disso, está previsto o recebimento de doses da vacina da Janssen, que chegaram hoje ao Ministério da Saúde e serão distribuídas às capitais.

A Gazeta entrou em contato com a Prefeitura de São Paulo na tarde desta segunda (21) para saber a posição da gestão municipal em relação à falta de vacinas em pelo menos 300 postos de saúde durante a segunda, principalmente em bairros da periferia da Capital, e não recebeu respostas até o fechamento deste texto.

Prefeito

Depois da declaração de Aparecido, o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB) também disse que o Governo de São Paulo foi avisado no sábado à noite, às 19h36, que as doses de vacina contra a covid-19 estavam acabando na capital paulista.

O prefeito  colocou a culpa da falta de doses no cansaço dos gestores públicos. "Com certeza absoluta foi um mal-entendido, o secretário Jean se expressou mal. Mas não procede. Assim que escutei a matéria [em que o secretário estadual afirmou à 'TV Globo' que o Estado foi comunicado só na segunda às 18h sobre a falta de imunizantes] mandei WhatsApp para ele com alguns prints [das conversas]. Não há culpados, todos estão cansados, ocupados", disse Nunes.