X
Brasil

Lula deixa Instituto ao lado do advogado sem falar com a imprensa

Pouco antes, o advogado Cristiano Zanin havia falado com jornalistas em frente ao Instituto dizendo não acreditar que a prisão seria decretada imediatamente

O ex-presidente saiu ao lado do advogado num carro sem dar declarações / Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Após a decisão do TRF-4 (Tribunal Regional da 4ª Região) que autorizar a execução de pena do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quinta-feira (5), o advogado do petista, Cristiano Zanin, chegou ao Instituto Lula. Meia hora depois, o ex-presidente saiu ao lado do advogado num carro sem dar declarações.

Pouco antes, o advogado Cristiano Zanin havia falado com jornalistas em frente ao Instituto dizendo não acreditar que a prisão seria decretada imediatamente.

"Não vemos risco nenhum de prisão, porque já está definido pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) que não será expedido nenhum mandado enquanto não houver o término da jurisdição de Porto Alegre e isso ainda não ocorreu", declarou.

"Nós não trabalhamos com essa hipótese de prisão, primeiro porque a decisão condenatória é frágil e será reformada. Segundo, porque temos medidas jurídicas para tomar a fim de expedir que haja qualquer restrição de direitos com relação ao ex-presidente Lula", acrescentou.

Assim que o TRF-4 expediu a decisão, o advogado retornou imediatamente para o Instituto.

A defesa já havia permanecido durante duas horas no Instituto Lula, onde o petista permaneceu ao longo desta quinta-feira (5), em reunião e recebendo visitas. Dilma Rousseff permaneceu ao lado de Lula.

Zanin afirmava antes da decisão do tribunal que caso esgotados os recursos em Porto Alegre a defesa estudará outras possibilidades de recursos para instâncias superiores.

"Em tese nós temos a possibilidade de novos recursos em Porto Alegre e de recurso especial e extraordinário para Brasília", disse.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Política

Lula celebra fim do caso tríplex e ataca Moro

A juíza Pollyanna Alves, da 12ª Vara Federal Criminal de Brasília, arquivou o processo contra o ex-presidente em decisão tomada nesta quinta-feira (27). Na ação, o ex-presidente era acusado de lavagem de dinheiro e corrupção

Polícia

130 kg de cocaína são apreendidos durante operação no Porto de Santos

A droga só pôde ser acessada com o auxílio de mergulhadores

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software