Covas nega necessidade de retrocesso na quarentena

'Não é o momento de flexibilizar mais, porém não precisamos retroceder o que já avançamos', disse o candidato à reeleição em SP

Comentar
Compartilhar
26 NOV 2020Por Gazeta de S. Paulo14h34
Bruno Covas, candidato à reeleição à Prefeitura de SP pelo PSDB, em sabatina ao 'UOL' e 'Folha'Foto: Divulgação

O candidato à reeleição Bruno Covas (PSDB) disse, em sabatina ao “UOL” e à “Folha” na manhã desta quinta-feira, que os dados da Vigilância Sanitária mostram que a situação da Covid-19 na cidade de São Paulo é de estabilidade.

“Não é o momento de flexibilizar mais, porém não precisamos retroceder o que já avançamos”, disse.

Questionado sobre qual teria sido o momento mais difícil de sua gestão, Covas destacou que “o grande desafio foi enfrentar uma pandemia sem manual de instruções”. Segundo o prefeito, em São Paulo, ao contrário do que aconteceu em outras cidades do mundo muito mais ricas, ninguém ficou sem atendimento e os médicos não precisaram deixar pacientes sem respirador para atender a outros em estado mais grave. “Vivemos um momento histórico que requer experiência e busca de consensos”.

O atual prefeito também disse que as escolas públicas da cidade estão pronta para o retorno das atividades. “Vamos aplicar uma prova para avaliar os conteúdos e em 2021 teremos o turno normal na escola e o contraturno em casa, com o uso de tablets”.