X

BERTIOGA

Travessia interditada há 15 dias deixa centenas de moradores em situação difícil

Trabalhadores, estudantes e comerciantes sofrem com a falta do equipamento gratuito essencial diariamente

Carlos Ratton

Publicado em 28/06/2022 às 07:00

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Centenas de moradores que utilizam diariamente o sistema de travessia gratuito entre Guarujá e Bertioga estão mais de 15 dias tendo muitas dificuldades para trabalhar / REPRODUÇÃO

Centenas de moradores que utilizam diariamente o sistema de travessia gratuito entre Guarujá e Bertioga estão mais de 15 dias tendo muitas dificuldades para trabalhar, ir à escola, a um pronto atendimento de saúde e até a um hospital porque a terceirizada que presta serviços ao Departamento Hidroviário do Estado de São Paulo (DH) não consegue substituir o flutuante de madeira que dá acesso à balsa que faz a travessia entre os dois municípios.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

No dia 12, quando ocorreu o acidente que prejudicou o transporte hidroviário, o sistema de travessia operava com lentidão em razão da força da maré. De lá pra cá, os motoristas estão utilizando rotas alternativas, como a Rodovia Cônego Domênico Rangoni (SP-055).

No entanto, a maioria não tem carro à disposição e está tendo um gasto médio de R$ 10,00 por dia (R$ 5,00 para ir e o mesmo valor para voltar) para se locomover o que, para muitas famílias, é dinheiro tirado da alimentação.

O secretário geral da Associação dos Moradores e Amigos da Cachoeira da região do Rabo do Dragão, Sidnei Bibiano da Silva, acredita que a maré não foi a responsável pela situação, mas sim, a falta de manutenção. Também é da opinião que a empresa teria que ter uma embarcação alternativa para casos emergenciais.

Pescador artesanal, ele acredita também ser um verdadeiro descaso com uma população tão vulnerável, como a da Prainha Branca, por exemplo, em que famílias estão gastando cerca de R$ 50,00 por dia para trabalhar, usando embarcações particulares.

"Além dos trabalhadores, a falta do transporte gratuito está prejudicando estudantes da região que frequentam aulas em Bertioga e moradores da região mais afastada do centro de Guarujá que usam o sistema de saúde do município vizinho. O dinheiro do transporte estava fora do orçamento das famílias", afirma Bibiano.

O representante da comunidade da região do Rabo do Dragão alerta ainda que não só trabalhadores e estudantes estão passando por dificuldades. "Os pequenos comerciantes que estão na Rodovia Ariovaldo de Almeida Vianna SP 61, também conhecida como Estrada Guarujá Bertioga, às margens do Canal de Bertioga, estão tendo prejuízos.

"No último final de semana, por exemplo, uma pessoa de Mogi das Cruzes resolveu almoçar do lado de Guarujá e teve que dar uma volta imensa. Deve ter gastado mais com transporte do que com almoço. Imagina quantas pessoas deixaram de consumir no comércio local por conta desse problema?", questiona.

As balsas são gratuitas para pedestres e ciclistas. Idosos e pessoas com deficiência têm embarque prioritário. Automóveis e camionetes pagam R$ 6,15 nos dias úteis e R$ 9,20 aos sábados, domingos e feriados. Já as motocicletas e ciclomotores pagam R$ 3,10 nos dias úteis e R$ 4,65 aos sábados, domingos e feriados.

Por afetar diretamente dezenas de moradores de Guarujá, a Prefeitura garantiu ontem que constantemente vem mantendo contato com o Governo do Estado, no sentido de cobrar maior agilidade em relação às obras de recuperação do flutuante, para que o sistema de travessias entre os dois municípios seja normalizado o quanto antes. A Prefeitura de Bertioga não se manifestou.

ESTADO.
O DH informa que está adotando todas as providências exigidas por lei para a contratação de uma obra emergencial. Só aguarda a aprovação da Procuradoria do Estado. A previsão inicial é que a obra tenha duração de 10 a 14 dias.

Além disso, também busca, no mercado, guindastes que tenham capacidade para içar a ponte, que tem cerca de 70 toneladas e está a aproximadamente a três metros submersa.

O DH vistoriou toda a estrutura, que contou ainda com uma equipe de mergulhadores para avaliar os danos provocados. Desta forma, após o término do processo licitatório para a contratação da empresa que irá realizar os serviços, será possível começar as obras e restabelecer o sistema.

O DH também garante que as principais rodovias que dão acesso ao litoral estão informando sobre a interdição da travessia pelos Painéis de Mensagens Variáveis (PMVs). Além disso, colocou faixas em pontos estratégicos nas cidades de Bertioga e Guarujá e também informa os motoristas pelos PMVs e pelos canais de informação - site, aplicativo Travessias e redes sociais. O Departamento orienta rotas alternativas, entre elas a Rodovia Cônego Domênico Rangoni (SP-055).

Para ampliar a segurança de todas as travessias, o Departamento realiza um programa de reforma e troca dos flutuantes e rampas de acesso. No dia 13 de junho foi entregue a rampa da "gaveta" de acesso à embarcação de veículos, do lado do Guarujá. Neste mesmo dia, foi iniciada a reforma de uma outra "gaveta" de acesso. No mês de maio, no lado Santos, foram entregues duas importantes obras para a travessia Santos/Guarujá: uma nova ponte e a reforma do flutuante, resultado de um investimento de R$ 1,8 milhão.

Uma outra gaveta já está em reforma para garantir ainda mais agilidade e conforto no embarque e desembarque. O lado Guarujá também já recebeu, em abril, um novo píer, dois novos atracadores e uma nova rampa de acesso à balsa.

 

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

ALERTA

Paguei com Pix, mas era golpe; saiba como recuperar o dinheiro

Advogado explica o que fazer e quais instituições podem ajudar a se livrar do prejuízo

Brasil

Nota Fiscal Paulista libera R$ 35,6 milhões; veja como resgatar

Do total, R$ 16,8 milhões são destinados a pessoas físicas que cadastraram seu CPF em compras feitas em abril

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software