16h : 15min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Supermancadas!

Quem acompanha quadrinhos de super-heróis há muito tempo sabe que a maioria deles está, também, muito antiga

Comentar
Compartilhar
11 JUN 2017Por Da Reportagem18h30

Superman é de 1938, Batman, de 1939 e um dos mais novos, o Homem-aranha, já tem quase 60 anos! Isso transforma a tarefa dos roteiristas num desafio quase sem fim mas, muitas vezes, também numa sucessão de ideias bizarras e algumas “mancadas” imperdoáveis.

Uma delas, sem dúvida, foi dividir o Superman em dois, um azul e um vermelho, ambos com poderes elétricos e dividindo também os outros poderes que o Super já tinha. A “invenção” se dá nos anos 90 e, dizem, era uma homenagem à alguma das obscuras histórias muito “criativas” da chamada Era de Prata. Pior que isso, só a ideia de John Byrne de colocar o Superman para fazer um filme pornô com a Grande Barda. Mas, isso é tão bizarro que não vou nem comentar.

Batman também não escapa de fases complicadas e com ideias ruins. E até nas mãos de gente do talento de Frank Miller. Um exemplo é a recente série Cavaleiro das Trevas III – a raça superior, em que um Batman envelhecido e parcialmente aleijado precisa encarar nada menos do que um exército de Supermen. Se a ideia original, de o Cavaleiro das Trevas dos anos 90, em que um Batman velho dava uma surra memorável no Superman já era forçada, a desta nova série é uma supermancada mesmo. Pior que essa ideia, só se fosse num filme do Zack Snyder.

Wolverine também foi um dos super-heróis que mais sofreu nas mãos dos roteiristas. Depois de se popularizar na histórica fase dos X-Men feita por Chris Claremont e John Byrne, o baixinho mais invocado da Marvel passou por poucas e boas: ficou sem o adamantium (metal que reveste todos o seu esqueleto), teve suas famosas garras reduzidas à ossos, virou um animal sem capacidade de raciocínio, perdeu uma das mãos e, pasmem, por ideia de algum artista talentoso, ficou até sem nariz! Mais uma mancada que devemos aos inesquecíveis anos 90...

O popular amigão da vizinhança, o Homem-aranha também sofreu bastante e não só por ter tido muitas tragédias na vida, como as mortes de seu tio, Ben Parker, ou de sua eterna namorada Gwen Stacy. Ele foi um dos poucos personagens que teve uma saga inteira feita de mancadas: a saga do clone, onde Peter Parker não era Peter Parker, mas sim um clone e acabou gerando um Homem-aranha escarlate (Ben Reilly) e um vilão (Kaine), todos, na verdade, clones de Parker. Uma confusão dos diabos. 

Essa, talvez, seja a mãe de todas as mancadas, uma vez que muitos fãs de carteirinha do escalador de paredes simplesmente deixaram de acompanhar as aventuras do herói. Pois é, nem todas as mancadas da indústria dos quadrinhos são desculpáveis.

Colunas

Contraponto