Pref 13 e 14

Hábitos positivos: como eles podem te ajudar

Afinal, o que é um hábito? Segundo o dicionário, é a maneira permanente ou frequente de comportar-se

Comentar
Compartilhar
19 MAR 2017Por Da Reportagem13h30

Outros livros e estudos consideram hábitos como uma ação que fazemos e que paramos para pensar depois, mas que continuamos a fazer, normalmente todos os dias. 

Com essas colocações, notamos que os hábitos podem ser bons ou ruins.

Podemos, por exemplo, ter o hábito positivo de agradecer, ler e fazer atividades físicas. Por outro lado, podemos ter o hábito negativo de fumar, roer unhas ou de maldizer as pessoas ao nosso redor.

De qualquer forma, sempre temos a possibilidade de modificar os nossos hábitos e desenvolver novas rotinas hoje, que farão toda a diferença em nossa vida quando o futuro chegar.

No livro “Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes”, o autor Stephen Covey nos apresenta o hábito de ser pró-ativo como o primeiro hábito importante.

Ser pró-ativo significa criar ações, antes de esperar que elas simplesmente aconteçam. 

Quando temos pró-atividade, somos gerentes do nosso tempo e de nossas ações, fazendo com que sejamos os protagonistas da nossa própria história.

Com isto, ganhamos a alegria genuína de guiarmos as nossas vidas e realmente fazer acontecer tudo aquilo que consideramos importante.

Há um exercício simples que visa praticar a pró-atividade. Basta reescrevermos algumas falas e atitudes do nosso dia a dia.

Frases como “Não sou muito bom nisso” ou “Não vou fazer essa atividade porque não sei” podem ser transformadas em frases como “Como posso melhorar meus conhecimentos com relação a este assunto”?

Outro exemplo é a frase “Estou cansado”, que pode ser transformada em “O que eu posso fazer para ter mais disposição, alegria e energia”?

Para finalizar, há outro hábito bastante positivo e que pode ser colocado em nossa rotina: lembrar que, para uma pessoa vencer, a outra não necessariamente precisa perder. 

Com a visão sistêmica, apresentada pelo Coaching Integrativo Sistêmico, podemos perceber que é possível todos ganharem, gerando um novo modelo mental muito mais gratificante: o da abundância. 

Com foco na abundância, geramos rentabilidade tanto para nós mesmos quanto para as outras pessoas, em uma abordagem rica, eficaz e muito satisfatória para todos os envolvidos.

Então, é hora de arregaçar as mangas e colocar em prática soluções que podem realmente fazer bastante diferença na nossa vida. 

Vamos lá?

Colunas

Contraponto