Débitos prefeituras

Maior exportador do mundo, Brasil compra café no exterior e paga até 77 vezes mais caro

O prejuízo atinge desde o lavrador boia-fria, passando pelo pequeno sitiante e pelo grande fazendeiro

Comentar
Compartilhar
06 OUT 2017Por Nilson Regalado12h00
Foto: Divulgação

O Brasil continua cometendo um erro gravíssimo e grosseiro que lesa a economia nacional. E o prejuízo atinge desde o lavrador boia-fria, passando pelo pequeno sitiante e pelo grande fazendeiro. O equívoco secular diminui ainda a renda dos corretores de café aí em Santos e reduz a arrecadação de impostos. Maior produtor e maior exportador do Planeta, o Brasil não agrega valor ao produto, vendendo o grão cru (verde) sem torrefazer, sem moer, sem embalar...

Assim, o Brasil vende café barato e compra café caro!

Dados reunidos pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) apontam que o País vendeu cada saca de 60 quilos do grão por um preço médio de R$ 538,67 nos oito primeiros meses deste ano, conforme cotação do dólar comercial de ontem (Banco Central). Isso representou uma receita de 2,94 bilhões de dólares, com 17,06 milhões de sacas exportadas no período.

O problema é que o Brasil importou o equivalente a 3.400 sacas no mesmo período e pagou 45,1 milhões de dólares. Em reais, isso significou que cada saca importada pelo País custou, em média, R$ 41.519,00.

Ou seja, o café importado pelo Brasil valeu até 77 vezes mais que o grão produzido aqui e enviado para aproximadamente 113 países, nos cinco continentes. Nessa carga trazida do exterior destaque para o alto valor agregado na forma de cafés torrados, solúveis, essências e concentrados à base de café, entre outros.

Pior: parte desses cafés torrados e solúveis é vendida para o Brasil por países que não plantam o grão, como Alemanha, Rússia e Itália.

PESCA NÃO É...
A Câmara dos Deputados impôs uma derrota ao governo Temer no final de setembro ao reverter o decreto presidencial que transferiu a Secretaria da Pesca para o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

...MOEDA DE TROCA,...
Os deputados federais aprovaram a Medida Provisória 782/2017 que devolve o setor para a Presidência da República e lhe confere status de ministério, recriando a Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca, exatamente como era nos governos Lula e Dilma.

...SENHOR ­PRESIDENTE!
A transferência proposta por Temer desagradou profundamente o setor pesqueiro e foi usada para contentar aliados políticos antes da análise da primeira denúncia de corrupção contra o presidente. Esse mesmo decreto presidencial publicado no primeiro semestre também deu foro privilegiado ao ministro Moreira Franco, investigado na operação Lava-Jato.

FEIRA FICOU MAIS CARA
O Índice de preços da Ceagesp divulgado ontem apontou alta de 4,88% nos preços da maior central atacadista de hortifrútis da América Latina. Em setembro, o setor de frutas registrou forte alta de 7,90%. O setor de legumes registrou baixa de 1,11% e o de verduras queda de 5,09%. O setor de pescados registrou inflação de 6,10%.

MELHOR MEL DO MUNDO
O mel processado pela Prodapys, indústria de Araranguá, no litoral sul de Santa Catarina, foi considerado o melhor do mundo durante congresso internacional de apicultura encerrado na quarta-feira, em Istambul, na Turquia. Santa Catarina já tinha recebido o título em 1979, na Grécia, com um mel da Federação das Associações de Apicultores do Estado.

CEIAS DE NATAL E ANO NOVO
Produtores de uva de Louveira, Indaiatuba, Jundiaí, São Roque, Porto Feliz e Pilar do Sul estão concluindo preparativos para a safra que vai adoçar as ceias de Natal e Ano Novo em SP. A poda nos pomares de niágara rosada terminou em setembro. A colheita começa em novembro e se intensifica no final do ano.

 

Colunas

Contraponto