Santos

'Rodovias de São Paulo são as mais caras do mundo'

Cláudio Fernando de Aguiar, pré-candidato a governador pelo Partido da Mobilização Nacional (PMN), conversou com o Diário

Comentar
Compartilhar
16 ABR 2018Por Carlos Ratton09h48
Cláudio Aguiar acredita que os dois principais postulantes ao Governo do Estado são idênticos e fazem parte de um mesmo grupo políticoFoto: Rodrigo Montaldi/DL

Pré-candidato a governador pelo Partido da Mobilização Nacional (PMN), o professor universitário e administrador de empresas, pós-graduado em Economia e Relações Internacionais, Cláudio Fernando de Aguiar, avalia a discussão dos últimos dias entre Márcio França (PSB) e João Doria (PSDB) como “puro teatro”. “Ambos são peças de um mesmo segmento político que visa somente se manter no Palácio dos Bandeirantes”, critica. Em entrevista do Diário do Litoral, Cláudio, faz uma análise sobre os Portos de Santos e Guarujá e dispara: “as nove principais rodovias do Brasil estão em São Paulo e são as mais caras do Mundo”. Confira a entrevista:

Diário do Litoral – Por que você avalia a briga entre os dois como uma encenação?
Cláudio Aguiar –
Márcio França foi vice-governador e secretário de Ciências, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico de Geraldo Alckmin. Hoje, o pré-candidato do PSDB, João Doria, afirma que o principal aliado político do ex-governador (Alckmin) é de esquerda, apoiador do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Por outro lado, Doria é apoiador de Aécio Neves e outros caciques tucanos que também estão envolvidos em escândalos. Sempre foram iguais e querem convencer teatralmente que são diferentes.

Diário – Como você analisa essa questão da divisão entre esquerda e direita?
Cláudio Aguiar –
O Doria, por exemplo, está sendo inteligente. Porque, infelizmente, é moda agora ser de direita, quando no passado foi ao contrário. Não sou demagogo, pois demagogia não resulta em um Estado ou País melhor. Quem se agrada com as frases de efeito de Doria e outro político semelhante gosta de demagogos. Doria fez um vídeo dizendo que Lula queria ser ministro para obter foro privilegiado, o que eu concordo, e depois afirma que Aécio não poderia ser julgado justamente por isso. Defendeu Moreira Franco, que só virou ministro para não ser preso, e agora se refere ao atual governador como França Cuba. Na verdade só quer provocar polêmica eleitoral. Doria e França sempre andaram juntos, faziam elogios mútuos (há vídeos disso) e agora ambos só querem o poder. 

Diário – Doria e França estarão no palanque com Alckmin?
Cláudio Aguiar –
Sim, porque sabem que o ex-governador é bem votado no Interior de São Paulo e ambos querem esse eleitorado, que não pode esquecer que Doria e França, há dois meses, eram amigos. Hoje um é Márcio Cuba e o outro é Doria Promessinha. Aí eu pergunto: quando é que São Paulo vai realmente crescer? Insisto que isso é um espetáculo para, num futuro próximo, darem as mãos.

Diário – São Paulo é mais do que uma disputa política?
Cláudio Aguiar –
Você tem um Estado onde os professores estão arrasados com salários e condições de trabalho miseráveis, os policiais militares e civis também, com índices de criminalidade camuflados. As pessoas acabam se embriagando com informações falsas e acreditam que o Estado está sendo bem governado, quando é justamente ao contrário. O PSDB e o PSB têm mais de 100 CPIs (comissões parlamentares de inquérito) arquivadas por deputados estaduais que nada fazem contra os governos do PSDB por conta de cargos.

Diário – Você acha que a Baixada está desprestigiada?
Cláudio Aguiar –
O Governo Estadual deveria brigar mais pelo Porto. Fica discutindo sobre a dragagem somente por conta de interesses econômicos e partidários. Esquecem o interesse coletivo a ponto do Porto de Santos perder mais de 20 mil contêineres por mês. Em Guarujá, a área portuária está estagnada por conta de uma diferença política entre PSDB e MDB. Eu fui secretário de Portos de Guarujá e vi isso de perto. Uma guerra política que só quem saiu perdendo foi o trabalhador e a população. Temos um Porto extremamente caro e pouco competitivo. O Governo PSDB-PSB não trabalha para a classe trabalhadora, mas para a elite e grandes empreiteiras.

Diário – Você tem uma posição firme em relação aos pedágios.
Cláudio Aguiar –
As nove principais rodovias do Brasil estão em São Paulo e são as mais caras do Mundo. Trafegar pela Rodovia Anhanguera (estadual) é 16 vezes mais caro do que pela Fernão Dias (Federal), que não perde em qualidade e condições para a primeira em nada. Tem um pedágio a cada 18 quilômetros. Radares espalhados em vários pontos. Ninguém consegue licenciar o carro sem pagar multa. Os radares não educam, só punem. E a população acaba não percebendo porque fica iludida assistindo a briguinha entre o PSDB e o PT. É preciso mudar essa situação perversa contra o trabalhador. Esse sistema de governo urgente. 

Colunas

Contraponto