Entrada da Cidade

Recolhimento de materiais abandonados soma 7 toneladas em duas semanas

O objetivo é eliminar os pontos de descarte, onde também são encontradas embalagens do tipo marmitex com restos de comida e roupas molhadas

Comentar
Compartilhar
10 NOV 2018Por Da Reportagem09h30
A retirada de materiais abandonados por pessoas em situação de rua foi ampliadaFoto: Divulgação/PMS

A rotineira força-tarefa para limpeza da Cidade com retirada de materiais abandonados por pessoas em situação de rua foi ampliada desde a semana passada pela Prefeitura. Até esta sexta-feira (9), foram recolhidas 7 toneladas, entre elas 30 carrinhos de supermercado, 4 sofás e mais 21 colchões sem condições de uso. O horário estendido do trabalho vai de segunda a sexta-feira, nos dois períodos, nas regiões central, da orla e zona intermediária. Na zona noroeste a ação é sempre às quartas-feiras.

O objetivo é eliminar os pontos de descarte, onde também são encontradas embalagens do tipo marmitex com restos de comida, roupas molhadas, pedaços de madeira, papelão, plásticos e até garrafas PET com urina. A ação intensificada pela Prefeitura visa mais higiene nas ruas e maior segurança à população, além de evitar a proliferação de roedores e insetos.

Para a execução da tarefa, são escalados dez funcionários das secretarias de Serviços Públicos, Segurança – por meio da Guarda Municipal para oferecer apoio -, CET, além da Terracom e dois caminhões basculantes.

"Dos locais considerados mais críticos pela equipe, alguns já não são mais pontos de concentração desse tipo de material devido à intensificação do trabalho. Entre eles estão Rua da Constituição, entre Júlio de Mesquita e Luiza Macuco; confluência da Rua Cunha Moreira e Av. Washington Luís (canal 3)", explica o coordenador da força tarefa, Nelson Rema.

Entre os locais onde há registro de muitos volumosos abandonados pelos moradores de rua estão Praça Nagasaki (vila Nova), embaixo do Viaduto Aristides Bastos Machado (Valongo), Rua João Pessoa (Centro), Rua Antônio Maia (Estuário), Rua Manoel Tourinho (Macuco), Rua Xavier Pinheiro (Vila Mathias), início da Rua Campos Sales (Vila Nova), Rua Dona Amélia Leuchtemberg (Ponta da Praia), Praça do INSS (Aparecida) e Praça Almirante Gago Coutinho (Ponta da Praia).

População pode colaborar com força-tarefa

A população também tem papel importante, podendo ser um dos braços da força-tarefa. O primeiro passo é a conscientização em não deixar volumosos descartados, como móveis e eletrodomésticos, junto ao lixo limpo nas ruas.

É necessário agendar a retirada dos objetos com o serviço do Cata Treco pelo telefone 0800-7708770 (somente telefones fixos) e colocar o descarte na rua, em frente à residência de endereço agendado apenas uma hora antes da coleta, evitando assim que os moradores de rua recolham os materiais.

O descarte irregular prevê multa a partir de R$ 500,00, que pode dobrar em caso de reincidência. A Ouvidoria, Transparência e Controle registra denúncias de entulho despejado irregularmente pelos telefones 0800-112056 (Ouvidoria) ou 153 da Guarda Municipal, responsável pela fiscalização.

Colunas

Contraponto