Entrada da Cidade

Obras do Programa Nova Entrada de Santos avançam

A etapa 1 está em fase de finalização com 98% das obras executadas, incluindo pavimentação, calçadas, drenagem e 18km de corredores de ônibus

Comentar
Compartilhar
09 NOV 2018Por Da Reportagem16h01
Prefeitura investirá no Programa R$ 290 milhõesFoto: Divulgação/PMS

O Programa Nova Entrada de Santos - que prevê soluções viárias e de drenagem para problemas crônicos na Zona Noroeste - já tem resultados positivos. A etapa 1 está em fase de finalização com 98% das obras executadas, incluindo pavimentação, calçadas, drenagem e 18km de corredores de ônibus. Para esta etapa foram investidos pela Prefeitura R$ 48 milhões. No total, a Prefeitura investirá no Programa R$ 290 milhões e conta com a parceria do Governo do Estado, investindo o total de R$ 270 milhões.

A construção da Avenida Beira Rio, que interligará os bairros Bom Retiro e São Manoel, além de ser um novo acesso à Rodovia Anchieta, integra a etapa 2 do programa. Atualmente, os trabalhos estão concentrados na colocação de geodreno (material semelhante à mangueira usada pelos bombeiros) no terreno. O objetivo é escoar naturalmente a água do solo para prosseguir com as obras. O investimento nesta frente é de R$ 52 milhões.

As demais obras previstas na segunda etapa consistem na repavimentação e adequação de corredores de ônibus, com nova rede de drenagem na Avenida Nossa Senhora de Fátima; construções de 1km de ciclovia e das pontes no canal da Rua Roberto de Molina Cintra (Santa Maria) e na Rua Júlia Ferreira de Carvalho (ao lado do Sesi).

Maiores empreendimentos estão concentrados nas etapas 3 e 4

A construção do viaduto da Avenida Nossa Senhora de Fátima será realizada pela empresa vencedora da licitação, Terracom. Essa obra está inserida na etapa 3 do Programa Nova Entrada de Santos, com investimento de R$ 76 milhões. Complementam a terceira etapa a reestruturação do sistema de drenagem do Saboó e demais intervenções de infraestrutura na Avenida Martins Fontes.

Outra construção prevista na etapa 4 é uma ponte na altura do km 65 da Anchieta, que funcionará como um novo acesso do Bom Retiro à rodovia. O investimento é de R$ 82 milhões. No momento, essa etapa está na contratação da empresa vencedora da licitação. E a etapa 5, que já segue em análise pela Caixa Econômica Federal, contará com R$ 12 milhões para investimentos em vias de ligação entre a Zona Noroeste e o Centro de Santos e que passam pelo sistema viário já existente dos morros.  

Cidade vai ganhar em infraestrutura com a implantação total do Programa Nova Entrada de Santos:

Para reduzir o problema das enchentes na Zona Noroeste serão implantados 7,6km de rede de drenagem, além da realização de limpeza e recuperação das galerias existentes. Com essas intervenções, os transtornos com os alagamentos e congestionamentos na entrada da Cidade irão diminuir significativamente.

As melhorias nos bairros já estão em andamento e, ao final do projeto, serão 317.512 metros quadrados de pavimentação, 32km de corredores de ônibus, 6,6km de ciclovias e a criação da ponte que irá ligar o Bom Retiro com a Via Anchieta e a Avenida Bandeirantes, permitindo que quem vá ou venha de São Paulo tenha fácil acesso à Avenida Jovino de Melo, uma das principais vias da Zona Noroeste. O deslocamento de motoristas será agilizado.

A manutenção e melhoria da qualidade de vida é um dos pontos principais do Programa Nova Entrada de Santos. As obras da Nova Entrada de Santos darão nova perspectiva para quem vive nos bairros da Zona Noroeste ou utiliza o sistema Anchieta-Imigrantes para trabalhar.

A questão habitacional também integra o Programa e algumas famílias que moram na Vila Alemoa estão sendo realocadas em conjuntos habitacionais. Além disso, as ruas da Zona Noroeste estão recebendo melhor iluminação e novas calçadas, resultando em mais segurança.

Números

Cento e vinte mil veículos circulam diariamente pela entrada da Cidade e 10 mil caminhões também passam pelo local.

O sistema de tráfego da entrada de Santos é da década de 1980. A última obra para melhoria do trânsito no local foi o alargamento da Avenida Martins Fontes, em 1983.

Obras da Ecovias complementam o programa

O Governo do Estado, por meio da Ecovias, também está realizando obras viárias e de drenagem para a fluidez do trânsito na entrada da Cidade. Entre as intervenções serão construídos três viadutos: nos km 62, 64 e 65 para facilitar o acesso aos bairros Piratininga, São Manoel e São Jorge.

Também será construída uma ciclovia ligando o Jardim Casqueiro e a Vila dos Pescadores, em Cubatão, à malha cicloviária de Santos e a implantação de duas passarelas de pedestres nos km 62 e 64.

A Ecovias também trabalha atualmente na implantação de um novo canal de drenagem na entrada da Cidade, na Rodovia Anchieta, para melhorar o escoamento das chuvas nas pistas.

Entenda porque a Zona Noroeste alaga

A Zona Noroeste foi urbanizada a partir do aterramento de manguezais que aumentou no início da década de 1950. Essa região fica abaixo do nível do mar e temos importantes rios cortando os bairros: Rio dos Bugres, Rio Saboó (parcialmente canalizado e coberto), Rio Lenheiros (um dos braços do Rio Saboó, canalizado durante a construção do Conjunto Habitacional Mário Covas) e Rio São Jorge (canalizado, desaguando no Rio Casqueiro).

Os rios passam por períodos de cheias e transbordam, seja pelo aumento do nível da maré, chuva forte, assoreamento (areia acumulada no fundo) ou lixo jogado irregularmente. A maré mais alta em Santos chega a 1,70m e aquela região fica a aproximadamente 1,30m.

As características da Zona Noroeste, somadas às mudanças que aconteceram com o passar dos anos, exigiram do poder público diversas intervenções para que essa área se tornasse mais moderna e agradável aos moradores. E esse trabalho já foi iniciado e está em plena realização.

Bem-estar é prioridade

Essas obras vão diminuir muito os alagamentos na entrada de Santos, nas pistas das Avenidas Martins Fontes e Nossa Senhora de Fátima. Os bairros Vila Haddad, Chico de Paula e Saboó ainda terão alagamentos por conta dos níveis da maré mais alta. E, para resolver, a Prefeitura fará outras obras com estações de bombeamento de água, previstas no Programa Santos Novos Tempos.

A Prefeitura prioriza o bem-estar da população e prevê a redução dos transtornos provocados pelas obras. As Avenidas Nossa Senhora de Fátima e Martins Fontes são muito movimentadas e terão planejamento de desvios de trânsito, ações ligadas a eventuais inundações durante as obras.

Colunas

Contraponto