Entrada da Cidade

'Cerco eletrônico' já reflete em redução de índices criminais de PG

Dados foram apresentados em reunião da Agem, nesta quarta-feira (16)

Comentar
Compartilhar
16 MAI 2018Por Da Reportagem18h50

Em menos de seis meses de implantação, o sistema conhecido como “Cerco eletrônico” vem apresentando resultados significativos nos índices criminais de Praia Grande. Nesta quarta-feira (16), durante reunião da Câmara Temática de Segurança Pública, da Agência Metropolitana da Baixada Santista (Agem), o comandante do 45º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM-I), o tenente-coronel Maurício Vieira Izumi, apresentou dados recentes de índices criminais que demonstram uma redução de quase 70% nos casos de roubos de veículos e de 22,4% nos de outros roubos nos primeiros três meses deste ano em relação ao mesmo período do ano passado.

De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP) estadual, em 2017, entre os meses de janeiro e março, foram registrados 329 casos, sendo 115 apenas em janeiro. Já em 2018, foram 110 casos. Com relação a outros roubos, em 2017 foram 1.233 contra 956 em 2018. “Atribuímos essa diminuição ao cerco eletrônico implantado na Cidade”, assegurou Izumi.

Segundo o comandante do 45º, o fato de qualquer veículo com queixa de roubo ou furto não conseguir mais entrar ou sair da Cidade sem que o sistema acuse, reduz não apenas os crimes relacionados a veículos especificamente. “Também impede que marginais com veículos roubados de outros municípios venham para cá cometer outros delitos”.

Izumi observou ainda que a tendência é que os índices diminuam ainda mais com a integração das câmeras do Município aos sistemas Infocrim e Detecta. “O sistema integrado tem resultados práticos, efetivos. Já tivemos aumento do número de viaturas, no efetivo e de outros recursos, mas nada teve resultados tão significativos quanto o cerco eletrônico”.

A integração com o Infocrim teve início em abril e com o Detecta, na última sexta-feira (11 de maio). Com isso, o atendimento das ocorrências ganhou agilidade, pois a comunicação dos crimes passa a ser feita diretamente para o sistema integrado ao Cicoe (Centro Integrado de Comando e Operações Especiais) e para os tablets instalados nas viaturas que fazem os patrulhamentos pela Cidade.

Sistema - O Cerco eletrônico é composto por 76 câmeras OCR (reconhecimento ótico de caracteres), instaladas em diversos pontos, principalmente as vias de acesso à Cidade. Ainda integram o sistema 1.838 câmeras fixas, que são compatíveis ao vídeo analítico (software específico para análise de dados) e também às câmeras de OCR; e 98 câmeras do tipo Domo (com zoom e giro de 360º).

 

Colunas

Contraponto