Entrada da Cidade

Senado aprova pena maior para feminicídio, e texto agora vai à Câmara

A pena será agravada em casos em que os crimes forem cometidos com a 'presença virtual' de filhos, netos ou pais e avós da vítima

Comentar
Compartilhar
13 MAR 2018Por Folhapress21h17
O plenário do Senado aprovou um projeto que eleva o tempo de pena para casos de feminicídioFoto: Divulgação/Fotos Públicas

O plenário do Senado aprovou nesta terça-feira um projeto que eleva o tempo de pena para casos de feminicídio. A pena será agravada em casos em que os crimes forem cometidos com a "presença virtual" de filhos, netos ou pais e avós da vítima. Ou seja, será aplicado para os criminosos que filmarem ou transmitirem as cenas.

Pela lei atual, a punição já era elevada para feminicídio cometido nos casos de a vítima estar grávida ou ser maior de 60 anos ou ainda se houver a presença física de pais, filhos ou avós da vítima.

Como sofreu uma alteração pelos senadores, o texto precisa passar por uma nova análise na Câmara para ter validade.

Foi retirado do texto original um trecho que previa a elevação da pena para casos de descumprimento da Lei Maria da Penha. Essa alteração foi feita porque na semana passada, o Congresso já aprovou um projeto com essa previsão.

O projeto foi votado na continuidade de priorização da pauta que visa combater a violência doméstica em decorrência do dia internacional da mulher, comemorado em 8 de março.

Colunas

Contraponto